sexta-feira, 18 de maio de 2018

Surf - Filipe Toledo é bicampeão do Oi Rio Pro em Saquarema

João Carvalho - Assessoria de Imprensa do Oi Pro Rio_
Filipe Toledo (BRA) (@WSL / Poullenot).
O paulista Filipe Toledo comandou o show nos tubos da Barrinha para festejar sua segunda vitória na etapa brasileira do World Surf League Championship Tour no Rio de Janeiro. Desde que ela passou a ser patrocinada pela Oi, ele ganhou a primeira em 2015 no Postinho da Barra da Tijuca, agora garantiu o bicampeonato do Brasil em Saquarema, repetindo o feito do também paulista Adriano de Souza no ano passado. Filipe barrou o líder do ranking, Julian Wilson, nas semifinais e também não deu qualquer chance para o outro australiano que enfrentou na decisão, Wade Carmichael. Com a vitória, Filipe tirou a vice-liderança no Jeep Leaderboard do potiguar Italo Ferreira e entra na briga direta pelo título mundial, que terá um novo desafio já começando no próximo domingo, dia 27, na Indonésia.
“Galera, primeiramente gostaria de agradecer a Deus pela oportunidade de estar aqui nesse lugar maravilhoso que é Saquarema, com altas ondas aqui na Barrinha e em Itaúna também, foi um campeonato incrível”, disse Filipe Toledo. “Quero agradecer todo mundo que mora aqui em Saquarema e nesta região do Rio de Janeiro, todos os locais daqui, obrigado de coração porque vocês fizeram uma festa incrível. Vocês têm uma onda alucinante aqui na frente da casa de vocês, valorizem isso e obrigado a todo mundo. Esse troféu para o meu filhote Koa (lágrimas) que nasceu há poucas semanas e está aqui com a gente. Valeu galera”.
Esta foi a sexta final de Filipe Toledo em etapas do World Surf League Championship Tour e ele ganhou todas. Já o seu oponente, Wade Carmichael, é um dos estreantes na elite mundial deste ano e pela primeira vez chegava numa decisão de título. Seu grande feito no último dia do Oi Rio Pro foi ter barrado Gabriel Medina nas quartas de final, quando o campeão mundial simplesmente não achou ondas boas para surfar na bateria. Depois, o australiano passou pelo havaiano Ezekiel Lau, que tinha derrotado o aniversariante do dia, o catarinense Yago Dora.
“Hoje (sexta-feira) foi uma loucura. É quase inacreditável ver tantas pessoas aqui na praia para assistir o campeonato. Que dia incrível!”, disse Wade Carmichael. “Eu entrei na final com uma estratégia definida de escolher as melhores ondas que entrassem, mas ouvi a torcida gritando loucamente naquela onda que ele (Filipe Toledo) recebeu nota 9,93. Mesmo assim, eu tinha que esperar alguma onda de tubo, mas não deu certo pra mim dessa vez e parabéns ao Filipe porque foi um campeonato épico, com altas ondas”.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Surf - Finais do Oi Rio Pro 2018 são adiadas para sexta-feira.

João Carvalho - Assessoria de Imprensa do Oi Pro Rio_
Barrinha (@WSL / Daniel Smorigo).
As previsões se confirmaram, a quinta-feira amanheceu sem ondas em Saquarema e as finais do Oi Rio Pro 2018 foram adiadas. A etapa brasileira do World Surf League Championship Tour tem prazo até domingo para ser encerrada e a primeira chamada da sexta-feira será as 6h45 nas direitas da Barrinha e não no palco principal na Praia de Itaúna. Quatro brasileiros vão disputar todas as baterias das quartas de final e podem conseguir um feito inédito na história do Circuito Mundial, o de formar duas semifinais 100% verde-amarelas na “Capital Nacional do Surfe” da Região dos Lagos do Rio de Janeiro.
“O swell (ondulação) decaiu bem mais do que a gente esperava, está praticamente sem ondas agora e com vento maral”, disse Renato Hickel, Tour Manager da World Surf League. “A previsão para amanhã (sexta-feira) está bem parecida com a do último dia que a gente fez o campeonato na Barrinha, então já marcamos a chamada para ser feita lá as 6h45 com grandes esperanças de ter um swell com boas ondas para terminar o evento lá nesta sexta-feira”.

Surf - Stephanie Gilmore vence primeiro título do Oi Rio Pro.

João Carvalho - Assessoria de Imprensa do Oi Pro Rio_
Stephanie Gilmore (AUS) (@WSL / Daniel Smorigo).
A australiana Stephanie Gilmore segue firme na busca pelo seu sétimo título mundial com a primeira vitória conquistada na etapa brasileira do World Surf League Championship Tour. Ela ganhou o confronto direto pela lycra amarela do Jeep Leaderboard na final do Oi Rio Pro com vice-líder Lakey Peterson e agora abriu quase 4.000 pontos de vantagem sobre a norte-americana, que barrou a brasileira Tatiana Weston-Webb nas semifinais. Na quarta-feira de ótimas ondas de 4-6 pés na Praia de Itaúna, também foi decidida as quartas de final masculinas e os brasileiros vão disputar todas as baterias. Filipe Toledo ganhou a primeira nota 10 em Saquarema e Gabriel Medina, Michael Rodrigues e Yago Dora, também se classificaram para o último dia. Na quinta-feira, a primeira chamada do dia será as 6h45 em Saquarema.
A quarta-feira começou com a batalha por vagas nas quartas de final femininas e a cearense Silvana Lima foi o destaque da terceira fase, registrando imbatíveis 15,90 pontos com a nota 8,90 da sua melhor onda. Depois, começou a dos homens com um confronto 100% brasileiro para decidir os dois primeiros classificados. O cearense Michael Rodrigues começou bem e liderou boa parte da bateria, até o paulista Filipe Toledo entrar em ação para comandar o show nas esquerdas de Itaúna.
Ele assumiu a ponta com uma nota 8,33 massacrando uma onda com manobras potentes e na seguinte arriscou um aéreo incrível, voando muito alto para fazer o giro completo no ar e aterrisar com perfeição. Os juízes concordaram com a vibração da torcida e deram a primeira nota 10 do Oi Rio Pro para ele se tornar o recordista absoluto do campeonato, com 18,33 pontos de 20 possíveis. Michael Rodrigues passou em segundo para as quartas de final e o pernambucano Ian Gouveia terminou em nono lugar na etapa brasileira do CT.
“Na verdade, naquela hora eu estava bem nervoso ainda, com medo do Ian (Gouveia) e do Michael (Rodrigues) virarem a bateria, pois são dois surfistas com imenso talento pra fazer isso. Mas aquela onda veio, eu estava no lugar certo na hora certa e Deus me abençoou com a nota 10”, contou Filipe Toledo. “Não foi uma onda boa para manobrar, então fiquei tentando sempre buscar a melhor sessão, consegui fazer uma manobra e quando eu tava chegando na parte boa dela, já estava vindo uma sessão animal pro aéreo e só pensei que a hora era aquela, então fui com tudo e deu certo, graças a Deus”.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Surf - Portão Surf Master

Por Pedro Viana

Surf - Margaret River Pro, Uluwatu define Campeões

Fonte Waves_
Esquerdas de Uluwatu definem os vencedores da etapa de Margaret River.
A WSL acaba de confirmar que as esquerdas de Uluwatu, em Bali, Indonésia, decidirão os campeões do Margaret River Pro, evento que acabou paralisado no último mês por causa da presença de tubarões no oeste australiano.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Surf - Brasil é vice-campeão na WSL Founders´ Cup

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Gabriel Medina (SP) (@WSL / Kelly Cestari).
A seleção brasileira foi vice-campeã na primeira competição por países na história da World Surf League. O Brasil liderou a disputa do título da WSL Founders´ Cup of Surfing apresentada pela Michelob ULTRA Pure Gold, até a última bateria disputada na piscina de ondas perfeitas criada por Kelly Slater em Lemoore, em pleno deserto da Califórnia. O sul-africano Jordy Smith garantiu o título para o time Mundo, formado também pela sua compatriota Bianca Buitendag, pela neozelandesa Paige Hareb, o taitiano Michel Bourez e o japonês Kanoa Igarashi, com os 4 pontos recebidos na última chance de vitória neste formato de competição que poderá ser utilizado na estreia do surfe nas Olimpíadas de Tokyo 2020 no Japão. Ele começou bem com nota 9,27 em sua melhor onda, que depois Filipe Toledo não conseguiu superar, nem Kelly Slater que foi o último a surfar e o resultado final das cinco baterias decisivas ficou em 8 pontos para a equipe Mundo, 7 para o Brasil e 4 para os Estados Unidos.
“É uma sensação incrível vencer como um time. Foi fantástico competir esses poucos dias aqui e isso só deixa a expectativa de coisas maiores e melhores por vir pela frente”, disse Jordy Smith. “Nós conversamos bastante como uma equipe durante todo o fim de semana e você não pode deixar passar nada quando se chega no dia da final. Você tem que deixar tudo de lado e se concentrar ao máximo, pois se conseguir fazer isso, você sairá com a vitória. Eu acho que o mais importante foi a determinação do time. Coletivamente, nós mantemos nossa confiança o tempo todo e nos apoiamos o tempo todo”.
Todos os 25 participantes aprovaram o sistema de disputa que a World Surf League inaugurou na Founders´ Cup of Surfing e competiram com entusiasmo defendendo seus países. Aproveitaram também, para conhecer melhor todo o mecanismo do funcionamento da piscina do WSL Surf Ranch, que vai sediar uma das etapas do World Surf League Championship Tour esse ano. No formato da Copa das Nações, foram formados cinco times com três homens e duas mulheres representando as três maiores potências do esporte, Brasil, Austrália e Estados Unidos, além da Europa e o time Mundo com surfistas de outros continentes.
“É uma honra fazer parte do futuro do surfe e representar o Brasil neste primeiro evento especial por países aqui nessa piscina fantástica”, disse Filipe Toledo. “Eu, o Gabriel Medina, o John John Florence, conversamos sobre como foi incrível surfar como uma equipe. Nós ficamos muito próximos um do outro, apoiando todos do time. Foi realmente uma experiência sensacional e certamente será um evento que sempre lembraremos de tão bom que foi competir neste formato por países”.
O trabalho tinha que ser em equipe, comandada pelos capitães de cada time, pois todas as ondas surfadas pelos seus cinco integrantes eram computadas. Eles tiveram três chances de pegar uma onda para esquerda e uma para a direita, para somar a melhor em cada direção no Jeep Leaderboard que classificava os três times com as maiores pontuações para as baterias decisivas do título da WSL Founders´ Cup of Surfing. Ou seja, tiveram que mostrar o seu melhor surfando de frontside (de frente para a onda) e de backside (de costas). As duas primeiras rodadas aconteceram no sábado e o Brasil ficou em quarto lugar na classificação geral, ou seja, fora do grupo dos três finalistas.
A recuperação veio no domingo, quando toda a seleção brasileira aumentou suas notas nas esquerdas, para passar para as baterias finais em segundo lugar no encerramento das fases classificatórias. Silvana Lima trocou um 5,68 por 7,67, depois Adriano de Souza subiu a dele de 6,83 para 8,67, Gabriel Medina de 6,87 para 8,53, Filipe Toledo de 7,83 para 9,40 e Tainá Hinckel trocou as duas dela, que foram bem baixas no primeiro dia. Filipe Toledo fez a maior somatória individual, 19,40 pontos com o primeiro e único 10 recebido no WSL Surf Ranch e que valeu um carro zerinho oferecido pela Jeep para a maior nota do evento. No total, o Brasil atingiu 80,47 pontos, abaixo somente dos 83,06 dos Estados Unidos.
“A vibe do nosso time foi ótima e todos se esforçaram para melhorar cada vez que entrava na piscina para surfar”, destacou o capitão da seleção brasileira, Gabriel Medina. “Estou muito feliz pela forma como nos apresentamos, apesar da decepção por não ter vencido. Nós surfamos muito bem como um time e foi um evento muito divertido para mostrar o que poderíamos fazer nessa onda. É bom compartilhar esse momento e conversar bastante com todos, especialmente com a Tainá (Hinckel) por ser tão jovem (14 anos apenas). Nós já estamos mais acostumados com toda a pressão, mas é tudo novo para ela, então demos muito apoio para quando ela chegar aqui no futuro, estar pronta para enfrentar toda esta atmosfera incrível desse lugar”.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Corrida de Rua - Corrida Pague Menos reúne mais de 15 mil corredores na Praia da Iracema


Fonte Opovo
Competidores foram divididos em percursos de 2km, 5km, 10km e 25km. Foto: Divulgação
Uma onda de corredores invadiu a Praia de Iracema na manhã deste domingo (6). Divididos em percursos de 2km, 5km, 10km e 21km, mais de 15 mil pessoas participaram 9ª edição do Circuito de Corridas Farmácias Pague Menos, a mais popular das provas de corrida do Estado. 
A largada da prova foi dada as 6h da manhã, com o peltão de meia-maratonas partindo na frente. A prova foi realizada com tempo nublado, com pista molhada, em meio a uma temperatura média de 25 graus. O público era bem variados: desde caminhantes até o pelotão de elite com corredores profissionais. O percurso foi animado com grupos de forró pé-de-serra. Todos os competidores que completaram a prova receberam medalhas. 
 Na principal disputa da corrida, o carioca Damião Ancelmo de Souza, da equipe Bradesco Seguros, cruzou a linha de chegada em 1º lugar da meia-maratona (21km), com o tempo de 1 hora, 6 minutos e 15 segundos. ELe levou a melhor em disputa acirrada com Edson Amaro dos Santos, que chegou com dois segundos a mais. 
Já a prova de 21km feminino teve como vitoriosa a paulista  Roselaine S. R. Benites, que fechou com o tempo de 1 hora, 19 minutos, 50 segundos. Os vencedores, do masculino e do feminino, levaram pra casa o prêmio de R$ 5 mil. 
Na disputa dos 10km, Gilson de Souza, da equipe Fcat, venceu com o tempo de 31 minutos e 32 segundos. Entre as mulheres, o 1° lugar ficou com Maria do Socorro Silva Lima, da equipe Stark, com o tempo de 37 mnutos e 41 segundos. 
Entre os participantes da prova de 5km, o vitorioso no masculino Dioclecio Rodrigues Santana, da comando ACAV, com o tempo de 15 minutos e 59 segundos. No feminino da categoria, a vitória foi de Daiena Santos Silva, da equipe da Unifor, com o tempo de 21 minutos e 11 segundos. 
Segundo a organização, mais de 30 mil pessoas, entre espectadores, staff e corredores não inscritos, compareceram ao evento. Do total de inscritos, 54% eram masculino e 46% do feminino, sendo que 18% disputaram o percurso de 21 km, 27% competiram na distância 10 km, 48%, na de 5 km e 7%, na de 2 km.
Os resultados individuais e completos da prova podem ser divulgados no www.paguemenos.com.br/circuitodecorridas.