terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Corrida de rua - Desafio da Paz

Fonte: GloboEsporte.com/corridaderua
(Foto: Fábio Motta / Ag. Estado)

União entre asfalto e favela. Esse é o principal objetivo da corrida que utiliza o esporte como ferramenta de transformação, renovação e inclusão social dos moradores da Comunidade da Rocinha, localizada no bairro nobre de São Conrado, no Rio de Janeiro. Idealizada pelo AfroReggae, o Desafio da Paz terá a sua segunda edição após o sucesso no Complexo do Alemão.
No dia 29 de janeiro, atletas de elite e amadores, moradores, policiais, empresários, artistas e organizações sociais celebram a reconquista da favela, antes comandada por traficantes. A largada será às 9h, na Praça Santos Dumont, e resgata trechos do antigo “Circuito da Gávea”, onde eram realizadas provas de automobilismo na década de 30.


- O Rio de Janeiro está mudando, aquela “cidade partida” de antes está acabando e o Desafio da Paz foi criado para ajudar nesse processo, unindo as pessoas, os lugares, juntando atletas famosos e artistas com anônimos, polícia e movimentos sociais, esse é o diferencial da prova – afirma José Junior, Coordenador Executivo do AfroReggae.

Longe do medo e da violência, 2.000 corredores, sendo 500 moradores da Rocinha e Vidigal, vão ter a portunidade de correr os 5km ao lado de refências do esporte. Marílson dos Santos, tricampeão da São Silvestre, já classificado para os Jogos de Londres 2012, e Franck Caldeira, campeão da São Silvestre de 2006 e vencedor do primeiro Desafio da Paz, estão confirmados para a segunda edição da competição. Marcia Narloch, maratonista olímpica e bicampeã pan-americana, também estará no Desafio.
- Não vai ser uma corrida para performance, por resultado. Será para ganhar ritmo de prova e pelo engajamento do tema da competição. Marilson vai correr pela paz – afirmou Adauto Domingues, técnico do atleta.

Além dos maratonista, também estarão presentes atletas olímpicos de outras modalidades. A organização confirmou alguns deles: Carlão (vôlei), Flávio Canto e Daniela Polzin (judô), Camila Carvalho (remo) e Cassius Duran (saltos ornamentais) e Arnaldo Oliveira, integrante da equipe brasileira, medalha de bronze no revezamento 4x100m em Atlanta.

- Qualquer movimento em prol da paz é bacana. Quando você pensa que teve uma fase do  Rio de Janeiro extremamete violenta e vê um projeto desses para reestruturar a cidade, com entrada de UPP, você vê que a sociedade busca, de alguma forma, mostar que tem talentos e grandes oportunidades através do esporte. Espero que o esporte consiga movimentar o país para compor uma cultura e uma sociedade melhor – disse Daniela Polzin.

Assim como o Desafio Rocinha de Braços Abertos, que srá realizado uma semana antes, neste domingo, o Desafio da Paz só pôde ser realizado a partir do momento em que a pacificação foi instaurada nas comunidades do Rio de Janeiro. Os projetos vão todos além da corrida. São movimentos sócio-culturais cujos principais interesses são trazer o morador novamente para a sociedade, descobrir novos talentos e ofecer qualidade de vida e saúde a todos.

As inscrições para estarão abertas até o dia 25 desse mês e os moradores da Rocinha não pagarão nada, basta realizarem o cadastro para a prova. O demais atletas poderão se inscrever e obter mais informações clicando aqui. O valor é de R$ 40,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário