terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Ventos e velas - Equipe Brasileira de Vela roda o mundo por medalha olímpica

Fonte Blog Murilo Novaes - por MariPeccicacco
Bochecha e Marco ainda tentam classificar o Brasil para os Jogos Olímpicos
Depois de seletiva em Búzios, atletas disputam principais eventos internacionais até o início dos Jogos de 2012.
Os velejadores brasileiros já classificados para Londres/2012 e os que ainda disputam uma vaga têm agenda cheia em 2012.
Com apoio da CBVM – Confederação Brasileira de Vela e Motor e do COB – Comitê Olímpico Brasileiro, a equipe nacional disputará as principais competições internacionais. Parte da equipe foi definida na Semana Brasileira de Vela, disputada em Búzios e que terminou neste sábado (11). O objetivo é dar mais ritmo de regata para os principais atletas e preparar o grupo para enfrentar de igual para igual os adversários na raia de Weymouth, na Inglaterra.


No calendário estão competições como Hyères, na França e Palma de Maiorca, na Espanha. O evento espanhol, marcado para o final de março, definirá qual dupla de 470 representará o Pais no Jogos: Martine Grael/Isabel Swan ou Fernanda Oliveira/Ana Barbachan.
“O Brasil tem chance de medalha em Londres/2012 e a nossa expectativa é a melhor possível. Hoje apontamos a dupla Robert Scheidt e Bruno Prada como a maior esperança. As outras classes estão evoluindo tecnicamente e, com todo investimento e com a participação nos principais eventos, podemos aumentar o nível e brigar por pódio ou top 10″, explica Ricardo Baggio, superintendente da CBVM.


Na história olímpica da vela, o Brasil ocupa a 10ª posição no quadro geral de medalhas. São seis de ouro, três de prata e sete de bronze, totalizando 16 conquistas. A modalidade é que a mais subiu ao pódio em todas as edições do Jogos. Torben Grael é o maior medalhista olímpico com cinco, seguido por Robert Scheidt, que somou quatro.


Para fazer valer essa estatística, a CBVM montou uma equipe multidisciplinar, com fisioterapeuta, consultor de regras e outras funções pertinentes ao universo do velejador. O time de especialista acompanha os brasileiros em todos os eventos
Maior esperança de medalha, Robert Scheidt e Bruno Prada devem priorizar os campeonatos da Europa e fazer períodos de treinamentos em Weymouth, na raia dos Jogos. A persistência da dupla pode ser recompensada com o ouro.


“O Robert Scheidt e o Bruno Prada têm disciplina e muita garra, por isso estão entre os melhores do mundo. A participação de Torben Grael e Marcelo Ferreira nas primeiras seletivas motivaram a dupla a treinar e se dedicar a Star. Os resultados apareceram e os dois têm tudo para ganhar o ouro”, indica Cláudio Biekarck, chefe da Equipe Brasileira de Vela.


Favorito e líder do ranking mundial, o bicampeão olímpico está pronto para mais uma vitória. Nos últimos 14 eventos, Scheidt e Prada venceram 12. Eles não perdem desde maio. “Eu convivo com o favoritismo desde a minha primeira olimpíada em 1996. Sei que nós somos os adversários a serem batidos e vamos brigar pelo título na raia de Weymouth. Espero que a organização defina com antecedência onde será a disputa. Vamos treinar bastante para o ouro”, salienta Robert Scheidt, que usou o dia livre para matar a saudade da Classe Laser, que já rendeu oito títulos mundiais e três medalhas olímpicas.


Outro experiente velejador, que pode ganhar medalha em Londres, é Ricardo Winicki, o Bimba. O atleta da RS:X vai para sua quarta participação. “Mais uma olimpíada e mais uma chance de medalha. Vou para brigar pelo pódio e os últimos resultados foram bons, principalmente aqui em Búzios correndo com os atletas top 10 no ranking mundial”, destaca Ricardo Winicki, o Bimba.
49er e 470 masculina - As duas classes podem confirmar a vaga na Inglaterra nos mundiais da categoria, em maio. Únicos representantes do País, André “Bochecha” Fonseca e Marco Grael intensificaram os treinamentos para ganhar a vaga na competição de 49er, que será em Zadar (Croácia). Para a categoria restam quatro vagas (12 países já estão confirmados).


Líderes do ranking nacional de 470, Fábio Pillar e Gustavo Thiesen disputam em Barcelona (Espanha), as sete vagas restantes na classe. A Classe 470 masculina tem 20 países confirmados. O Match Race feminino do Brasil não conseguiu classificar um trio para a estreia da classe no calendário olímpico após duas tentativas: Perth (Austrália), em dezembro de 2011, e Miami (EUA), em fevereiro de 2012.


“O objetivo é seguir a preparação e correr as competições lá fora para ganhar a vaga. O nível técnico dos velejadores da Europa é um pouco maior por causa do desenvolvimento de material. Temos de investir, treinar e competir para ir a Weymouth”, constata Fábio Pillar, timoneiro da classe 470 e parceiro de Gustavo Thiesen.


Outro timoneiro que tentará a vaga é o especialista em match race Henrique Haddad. O atleta promete se dedicar exclusivamente à categoria até maio, no Mundial de Barcelona. “Foco total na campanha olímpica. É preciso ter perseverança e sorte para ganhar a vaga. Estamos um pouco atrás dos líderes do Brasil de 470, mas temos três meses pela frente de treinos”, relata. Pela regra, quem conseguir a vaga do País no Mundial de 470 será o representante nos Jogos. O mesmo vale para o evento de 49er em Zadar.
Campeões da Semana Brasileira de Vela:
Finn
Jorge Zarif

Laser Radial
Adriana Kostiw

Laser Standard
Bruno Fontes

RS:X Masculino
Ricardo Winicki Bimba Santos

RS:X Feminino
Patricia Freitas

Star
Robert Scheidt/Bruno Prada

470 Masculino*
Fabio Pillar/Gustavo Thiesen

470 Feminino
Fernanda Oliveira/Ana Luiza Barbachan

49er*
André Fonseca/Marco Grael

Em negrito os classificados para o Jogos:
* Classes que não tem a vaga olímpica



Da ZDL de Comunicação - 

Nenhum comentário:

Postar um comentário