quinta-feira, 22 de março de 2012

Ciclismo Urbano - Perguntas sobre aluguel de bicicletas em SP


por Eu Vou de Bike
Sistema do Itaú em SP será igual ao do Rio de Janeiro
Ficamos animados com a notícia de que São Paulo iria finalmente ganhar um sistema massificado de compartilhamento de bicicletas, semelhante aos existentes no Rio, em Londres e em Paris. As informações iniciais davam conta de que o banco Itaú iria gerenciar esse sistema, colocando à disposição da cidade cerca de 3 mil bicicletas.

Uma notícia publicada no jornal ‘O Estado de S. Paulo‘ na última quarta-feira, no entanto, começa a colocar algumas dúvidas sobre o plano da Prefeitura de implantar o aluguel de bicicletas na cidade.
De acordo com a reportagem, São Paulo terá quatro redes de aluguel de bicicletas separadas, cada uma com um sistema diferente. “Além de Bradesco e Itaú, que já prometeram colocar ao menos 3,3 mil bicicletas nas ruas da capital, a AES Eletropaulo e a Ambev também afirmaram à Prefeitura que vão apresentar propostas”.
Em um primeiro momento, é muito interessante saber que tem mais gente querendo colocar bicicletas nas ruas de São Paulo, mas como a própria reportagem afirma, “como os sistemas vão operar separadamente, os paulistanos não poderão pegar a bicicleta da área de uma empresa e devolver no bicicletário de outra”. Essa é uma grande desvantagem e pode desvirtuar completamente a ideia do sistema de compartilhamento de bicicletas, que é o uso da bicicleta de ‘ponto A’ a ‘ponto B’ como um eficaz meio de transporte.
A parceria entre Prefeitura e Itaú é a que está mais avançada no momento. Segundo o jornal, o acordo deve ser assinado nos próximos dias e as bicicletas começam a aparecer na cidade nos próximos dois meses. O Itaú vai bancar 3 mil bikes em 300 estações, que espalhadas a cada 1 quilômetro. A má notícia é que o período grátis de uso será de apenas 30 minutos, ao contrário do Rio de Janeiro, que tem 1 hora de cortesia.
Mesmo assim, ainda estamos bem empolgados com a implantação de um sistema de compartilhamento de bicicletas dessa magnitude em São Paulo. É um bom começo e vai ser lindo ver a cidade cada vez mais cheia de ciclistas.
Mas algumas perguntas ainda devem ser respondidas:
- Há um comitê de ciclistas ajudando a Prefeitura a escolher os locais das estações?
- Por que os 4 sistemas diferentes que devem ser implantados não usam o mesmo tipo de bicicleta, o mesmo modelo de estação e uma base de dados única? Assim, quem pega a bicicleta em uma estação Itaú poderia deixar em uma estação AES, e vice-versa.
- Os cidadãos vão ter de se cadastrar em 4 sistemas diferentes para poder alugar bicicletas bancadas por empresas diferentes?
- Qual o critério adotado para definir em meia hora, e não uma hora, a gratuidade do serviço?
Seria interessante saber as respostas a essas perguntas. E vamos torcer para tudo isso sair mesmo do papel e, ao final do ano, termos milhares de novos ciclistas pedalando pelas ruas e avenidas da cidade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário