quinta-feira, 12 de julho de 2012

Ventos e Velas - Regata próxima do título agita Rolex Ilhabela Sailing Week

Autor : 360 Graus
Disputa acirrada na HPE  Foto: Carlo Borlenghi 
O assunto desta quarta-feira (11) em Ilhabela era onde seria realizada a regata do dia e a solução da Comissão de Regatas privilegiou o público. Com a entrada do vento Sul, no início da tarde, a prova da Rolex Ilhabela Sailing Week foi disputada no canal, bem perto do Yacht Club de Ilhabela (YCI). A intensidade de 10 a 20 nós e muito sol, garantiram duelos equilibrados e técnicos e um belo espetáculo para o público que estava na orla de ilhabela e de São Sebastião dos 150 barcos inscritos na competição.
 

Os vencedores do dia também souberam evitar os perigosos baixios do canal, onde alguns barcos chegam a encalhar. Na classe S40, o Pajero (Eduardo Souza Ramos), depois de várias trocas de posições, cruzou a linha de chegada em primeiro. Mérito para a equipe que estava mais atenta. "A vela é uma modalidade que exige muito do atleta, que precisa ter percepção de vários fatores que cercam. Talvez é a que mais obriga atenção total. No caso da regata desta quarta, nós precisamos de dedicação e concentração. Foi longa a perna e com muita adrenalina", revela Eduardo Souza Ramos.

Especialista em competições de Volta ao Mundo, André Fonseca também apoia a ideia de regatas perto do público, assim como na Volvo Ocean Race, Olimpíada e America´s Cup. "Correr uma regata no meio do mar nem sempre é legal para o público. Às vezes, as provas perto de terra prevalecem apenas um bordo (lado) e acaba ficando um barco atrás do outro. Desta vez, os veleiros ficaram espalhados, possibilitando um belo visual", conta o integrante do Pajero, barco que está em primeiro na classificação geral na frente do Crioula (Eduardo Plass).

A classe HPE é a que mais se adapta às provas perto da terra pelo tamanho e agilidade. Parecida com as olímpicas, a categoria está reunindo 27 embarcações na Rolex Ilhabela Sailing Week, recorde desde que foi criada em 2004, e não teve um vencedor repetido. Melhor para o time do SER Glass Eternity, de Marcelo Bellotti. "Velejamos com raça e garra. Encaixamos bem a velejada com um barco rápido. O conhecimento da raia, principalmente do canal, fez a diferença. Foi um dia de sul atípico com pouca corrente", revela Bellotti. "Treino é fundamental na vela. Sempre que posso estou na ilha velejando". 

A vitória desta quarta-feira melhorou a posição do SER Glass Eternity que estava apenas na 17ª colocação e subiu cinco posições. A liderança é do SX4/Bond Girl (Rique Wanderley), seguido por Ginga (Breno Chvaicer) e BSS (Marcelo Christiansen). Na C30, o Loyal TNT (Marcelo Massa) é o líder isolado da categoria que estreia na Rolex Ilhabela Sailing Week 2012. "A regata foi bastante interessante e foi possível ver a evolução dos adversários. Em pouco tempo, os outros C30 reduzirão a vantagem, como o Katana, que é o mais novo da raia", relata Alexandre Paradeda, do Loyal TNT, que é a tripulação mais profissional da classe.

Nas classes que precisam de rating, como a ORC, o Tomgape Touche (Ernesto Breda) segue liderando no geral e é o grande favorito ao tri. Mas, como era de se esperar, os adversários estão na cola, como o Tembó Guaçu (Osvaldo Bagnoli). Os representantes de Campinas (SP) souberam velejar na raia, que dificulta as manobras dos barcos maiores. "Tentamos errar o menos possível para ter um bom resultado no tempo corrigido. Não tivemos problemas com o baixio. O conhecimento do local e a ajuda de velejadores locais também é fundamental nessas horas", diz André Otomati, integrante do Tembó. 

Os outros vencedores do dia foram: Zeus (Inácio Vandressen) na 600, Kiron (Leonardo Cal) na 650 e Prozak (Márcio Finamore) na 700. Entre os RGS, outra disputas acirradas. Na Maxi, que envolve os maiores da categoria, o primeiro no tempo corrigido foi o Maria Preta (Alberto Barreti). Na A, Brekelé (Escola Naval) foi o melhor do dia; na B foi o Tangaroa e na C o Mandinga (Jonas Penteado), que está com 100% de aproveitamento. Entre os Cruiser, há duas subdivisões: Na A, vitória do Sailing Adv. Travessura (Sérgio Gomes) e na B do Hélio II - Hospital Sírio Libanês (Marcos Lobo). "Conseguimos um bom aproveitamento nas primeiras regatas. O campeonato, apesar da nossa vantagem, está difícil e nossa estratégia será ampliar o resultado", revela Marcos Lobo.



Resultados acumulados

S40 - após 4 regatas

1º - Pajero/Gol (Eduardo Souza Ramos) - 8 pp (2+2+3+1)
2º - Crioula (Eduardo Plass) - 9 pontos perdidos (1+5+1+2)
3º - Carioca (Roberto Martins) - 13 pp (4+3+2+4)
4º - Apolonia (Jaime Charad) - 14 pp (5+1+5+3)
5º - Mitsubishi/Energisa (Torben Grael) - 16 pp (3+4+4+5)

C30 - após 4 regatas 

1º - Loyal (Marcelo Massa) - 6 pp (3+1+1+1)
2º - Barracuda (Humberto Diniz da Silva) - 13 pp (5+2+3+3)
3º - Katana (Fábio Filippon) - 13 pp (6+3+2+2)
4º - Kaikias (Tarcisio Mattos) - 15 pp (1+5+5+4)
5º - Corta Vento (Carlos Augusto de Matos) - 17 pp (4+4+4+5)

HPE - após 4 regatas 

1º - SX4/Bond Girl (Rique Wanderley) - 12 pp (3+1+7+2)
2º - Ginga (Bruno Prada) - 17 pp (1+9+2+5)
3º - BSS (Marcelo Christiansen) - 21 pp (5+2+3+11)
4º - Bixiga (Pino Di Segn - 24 pp (6+7+4+7)
5º - Relaxa/Next (Roberto Mangabeira) - 26 pp (13+8+1+4)

ORC Geral - após 3 regatas

1º - Tomgape/Touché (Ernesto Breda) - 3 pp (1+1+1)
2º - Tembó Guaçu (Osvaldo Bagnoli) - 7 pp (2+3+2)
3º - Angela Star (Peter Siemsen) - 12 pp (3+5+4)
4º - Chroma(Luis Crescenzo) - 13 pp (7+3+3)
5º - Asa Alumínio (Mario Martinez) - 14 pp (1+7+6)

ORC 500 - após 4 regatas

1º - Tomgape/Touché (Ernesto Breda) - 5 pp (2+1+1+1)
2º - Tembó Guaçu (Osvaldo Bagnoli) - 12 pp (6+2+2+2)
3º - Angela Star (Peter Siemsen) - 15 pp (3+5+4+3)
4º - Chroma(Luis Crescenzo) - 17 pp (7+3+3+4)
5º - Asa Alumínio (Mário Martinez) - 19 pp (1+7+6+5)

ORC 600 - após 4 regatas

1º - Zeus (Inácio Vandressen) - 8 pp (2+2+3+1)
2º - Ventaneiro (Renato Cunha) - 9 pp (3+3+1+2)
3º - Mad Max (ARG - Julian Somodi) - 20 pp (11+1+2+6)
4º - Orson/Mapfre (Carlos Eduardo Souza e Silva) - 23 pp (6+5+8+4)
5º - Marlim (Escola Naval) - 27 pp (5+6+7+9)

ORC 650 - após 4 regatas

1º - Kiron (Leonardo Guilherme Cal) - 6 pp (3+1+1+1)
2º - Bravíssimo (Ivan de Porto Alegre Muniz) - 8 pp (2+2+2+2)
3º - Katana (Francisco Luis Altenburg) - 12 pp (1+4+4+3)
4º - Maestrale (Adalberto Casaes Jr.) - 15 pp (5DNF+3+3+4)

ORC 700 - após 4 regatas

1º - Prozak (Márcio Finamore) - 7 pp (1+2+3+1)
2º - Pachim Mar & Vela/Pacuíba (ARG- Leandro Sanches) - 10 pp (3+1+2+4)
3º - Angra (Escola Naval) - 14 pp (4+4+4+2)
4º - Zeppa (Diego Zaragoza) - 15 pp (2+3+1+9DNF)
5º - E-Ratix Siriúba (CHI - Carlos Parrague Ayala) - 19 pp (6+5+5+3)

RGS Maxi - após 4 regatas

1º - Maria Preta (José Barreti) - 5 pp (1+2+1+1)
2º - Saravah (Pierre Joullie) - 8 pp (3+1+2+2)
3º - Harpia III (Le Vent Mistral) - 13 pp (2+3+4+4)
4º - Náutico II (ARG) - 15 pp (5+4+3+3)
5º - Sessentão (Alain Simon) - 19 pp (4+5+5+5)

RGS A - após 4 regatas

1º - Troop Too (Luiz Eduardo de Lucena) - 6 pp (1+1+3+1)
2º - Brekelé (Escola Naval) - 10 pp (2+5+2+1)
3º - Fram (Felipe Aidar) - 13 pp (3+3+4+3)
4º - Jazz (Valéria Ravanni) - 14 pp (6+2+1+5)
5º - Quiricomba (Escola Naval) - 20 pp (4+7+5+4)

RGS B - após 4 regatas 

1º - Tangaroa (James Bellini) - 6 pp (3+1+1+1)
2º - Palmares (José Romariz) - 17 pp (1+5+6+5)
3º - Revanche (Celso Faria) - 19 pp (10+2+4+3)
4º - BL3 (Clauberto Andrade) - 20 pp (7+7+2+4)
5º - Sereloco (Marcelo Cabral) - 21 (8+3+3+7)

RGS C - após 4 regatas 

1º - Mandinga (Jonas Penteado) - 4 pp (1+1+1+1)
2º - Azulão (Marcello Polônio) - 12 pp (5+3+2+2)
3º - Ariel (Luis Pimenta) - 20 pp (4+4+4+8)
4º - Semp Toshiba/Stroke (Andrea Rogix) - 27 pp (9+5+10+3)
5º - Charade (Roberto Martins) - 27 pp (6+7+8+6)

RGS Cruiser A - após 4 regatas

1º - Sailing Adv. Travessura (Sérgio Gomes) - 8 pp (1+1+3+3)
2º - Chrispin II Kelvin Clima (José Carlos de Souza) - 9 pp (2+4+2+1)
3º - For Sale (Décio Goldfarb) - 9 pp (4+2+1+2)
4º - Charlie Bravo (Prefeitura de Ilhabela) - 22 pp (5+9+4+4)
5º - Magaratz (Cláudio Birolini) - 23 pp (3+5+6+9)

RGS Cruiser B - após 4 regatas 

1º - Hélios II - Hospital Sírio Libanês (Marcos Lobo) - 5 pp (2+1+1+1)
2º - Cocoon (Luiz Caggiano) - 9 pp (3+2+2+2)
3º - Boccalupo (Cláudio Melaragno) - 16 pp (1+6+5+4)
4º - BL3 / Alísios Wind Náutica (Domingos Carelli Neto) - 16 pp (6+3+4+3)
5º - Austral (Antônio de Faria) - 17 (5+4+3+5)

Nenhum comentário:

Postar um comentário