segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Corrida de Rua - Fernando de Noronha tem segunda edição de corrida de rua

Por Corredor de Rua
Fernando de Noronha recebeu corrida de rua  (Foto: Renata Victor / Acervo pessoal) 

Numa corrida de rua em que a paisagem tem praias exuberantes, barcos, vegetação selvagem, buggys, ilhotas e pássaros até parece que o termo “rua” foi usado de forma errada. É que quando o percurso corta o arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco, o asfalto fica praticamente em segundo plano. Foi nesse cenário paradisíaco, em clima turístico, que a 2ª Corrida de Rua de Fernando de Noronha foi realizada com 354 participantes.

No trajeto de 14 quilômetros, o vencedor da categoria masculina foi Antônio Marlos com o tempo de 53m22s, seguido por José Aparecido dos Santos (54m35s) e Salomão Gedes (1h). Na categoria feminina, venceu Juliana Mafra ao cruzar a linha de chegada com o tempo de 1h09m. Valdereys Ferraz (1h18m06s) e a chilena Pia Venegas (1h18m41s) chegaram coladas na segunda e terceira posição, respectivamente.
Os vencedores da prova dos cinco quilômetros foram Adalberto Barbosa (20m54s), Adauto da Silva (22m12s) e Heleno Ferreira (22m50s) entre os homens. Pelo lado das mulheres, subiram ao pódio Geilda da Silva (25m31s), Rita Bezerra (26m57s) e Thânia Pessoa (28m16s).
Beleza em segundo plano
Os encantos do arquipélago de Fernando de Noronha ficaram em segundo plano na corrida deste sábado. É o que garante o vencedor da prova dos 14 quilômetros, Antonio Marlos.
- Não deu para ver nada. Só ficava pensando na estrada e no meu ritmo de corrida. Essa prova é muito complicada, pois são várias subidas que eu não esperava. Como sou um atleta que está acostumado ao terreno plano de Caruaru, tive que me concentrar mais – disse o representante da cidade do agreste pernambucano.
O segundo colocado da prova, José Aparecido dos Santos, reside em Fernando de Noronha e era a esperança que a medalha de ouro ficasse “em casa”. Ele, inclusive, foi o vencedor da disputa em 2011.
- Este ano não deu para mim, mas isso mostra que o nível da corrida melhorou. Dessa maneira, fico satisfeito pelo segundo lugar. Tive uma tática ousada em começar a prova com muita força e velocidade, no entanto não deu para segurar e acabei ultrapassado por Marlos no quilômetro nove.
Para Juliana Mafra, que é triatleta, a prova dos 14 quilômetros exigiu bastante condicionamento físico.
- A minha preparação no triatlo ajudou bastante nesse tipo de corrida, porque foram 14 quilômetros de muita subida. Como o meu esporte me dá muita resistência, acabei me dando bem. Se fosse uma corrida plana, talvez eu pecasse na velocidade – analisou a pernambucana, que é tricampeã brasileira de triatlo.
Esporte e turismo
Se a seriedade prevaleceu entre os competidores do percurso de 14 quilômetros, a festa e o lema do “importante é chegar” prevaleceu entre corredores dos cinco quilômetros. Idosos, corredores amadores e turistas formaram o pelotão dos que não estavam preocupados com o resultado.
- Corro por todo o Brasil pelo simples prazer de participar, conhecer pessoas e lugares. Vou no meu ritmo e normalmente chego entre os últimos. Para evitar a gozação dos amigos, sempre levo uma máquina fotográfica na mão e tiro umas fotos da paisagem. Essa é a minha justificativa, “parei para fotografar” – disse, às gargalhadas, o bancário Kléber Pitangueira, que saiu de Salvador direto para Fernando de Noronha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário