sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Ventos e Velas - Touché faz sua última regata em águas brasileiras

por MariPeccicacco - Coluna Murillo Novaes
Touché veleja pela última vez no Brasil neste final de semana.
Equipe de Ernesto Breda representará o Brasil no Mundial de ORC, em 2013, na Itália e, depois da competição, será vendido.
Ilhabela(SP) - A Copa Suzuki Jimny chega à sua grande final e terá um capítulo especial neste fim de semana em Ilhabela. Pela última vez, o vitorioso barco Touché disputará uma competição no País. A equipe, que defenderá o Brasil no Mundial de ORC de 2013, é favorita para sair com mais um título na classe, eles estão usando o campeonato para teste de velas e outros itens novos.

A tripulação faz os ajustes para brigar de igual para igual com os tops da categoria no Mundial de Ancona, na Itália. Ernesto Breda ainda não pensou e nem quer abrir o jogo sobre o futuro dele e de sua tripulação após o fim do Touché. “Vai depender de muitos fatores. Vou consultar a família”, pondera o velejador, que tem no currículo três títulos do Circuito Rio, três Campeonatos Brasileiros, três edições da Rolex Ilhabela Sailing Week e outras conquistas em Florianópolis, Búzios e Buenos Aires/Punta Del Leste.
“A fase de testes é muito trabalhosa, já que é tudo novo. É preciso ajustar cada uma das velas, experimentar tensão, mandar para fábrica para últimos reparos e outras coisas mais. A segunda parte é otimizar o rating em função das velas. Até final de dezembro estaremos nesse trabalho”, conta Ernesto Breda.
O Touché é o grande favorito a levantar mais um título da Copa Suzuki Jimny. Os números apontam isso: a equipe lidera com vantagem de 14 pontos para o Orson Mapfre (Carlos Eduardo Souza e Silva). Foram 11 vitórias em 17 regatas disputadas durante as etapas do ano. “Eu já estou com saudades do Touché. Aqui em Ilhabela tivemos grandes batalhas na raia. Terei muito orgulho de representar o clube e os velejadores paulistas em Ancona, no Mundial”, lembra Breda. A embarcação, um Botin & Carkeek de 46 pés, parte no final de fevereiro para a Europa e o Mundial será disputado no meio do ano (21 a 29 de junho).
Outras classes - A disputa é acirrada nas classes que não precisam de rating, aquelas em que os barcos são iguais. No HPE, o Ginga (Breno Chvaicer) é o favorito para o tri da Copa Suzuki Jimny, mas o SER Glass Eternity (Marcelo Bellotti) tentará retomar a ponta nas regatas de sábado (1) e domingo (2). Na C30, o Loyal TNT (Marcelo Massa) lidera, mas o Barrcuda (Humberto Diniz) está apenas dois pontos atrás.
Entre os RGS, os campeões serão conhecidos em Ilhabela neste fim de semana. A tabela dá vantagem para Fram (RGS-A), Nomad (RGS-B)Ariel (RGS-C) e Hélio II – Hospital Sírio Libanês (RGS-Cruiser).
Confraternização - Como de costume, a última etapa da Copa Suzuki Jimny encerra em grande estilo o calendário de eventos top da vela oceânica da América Latina. É um momento especial para confraternização no Yacht Club de Ilhabela depois de uma temporada de regatas equilibradas. E, para deixar o ambiente ainda mais divertido, a organização prepara a tradicional canoa de cerveja e refrigerante, além dos quitutes para a turma que velejou no litoral norte paulista. No sábado (1/12) haverá uma banda para divertir a galera.
A Copa Suzuki Jimny / XII Circuito Ilhabela de Vela Oceânica tem organização do Yacht Club de Ilhabela, com patrocínio máster da Suzuki Veículos e co-patrocíno da SER Glass. Os apoiadores são a Prefeitura Municipal de Ilhabela, Brancante Seguros, Ancoradouro e Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião.
Da ZDL


Nenhum comentário:

Postar um comentário