terça-feira, 10 de setembro de 2013

Surf - Hurley Pro Trestles tem bateria 100% verde amarela na 1ª fase


por Cristiano Rigo Dalcin
Adriano De Souza (SP) no Hurley Pro Trestles 2012 - foto Sean Rowland
Atual campeão do mundo e número 3 na atual temporada, o aussie Joel Parkinson venceu em Bali e foi vice-campeão na Gold Coast, mas precisa de bons resultados na Califórnia e na Europa para tentar defender o título com todas as condições em Pipeline, no Havaí, na última etapa.

— Eu tenho que recuperar a consistência novamente. Olhando para os rankings, eu provavelmente vou precisar ganhar um dos próximos três eventos, se não dois, para ter a chance de brigar pelo título mundial novamente — declarou.

Vencedor do evento em 2004, Parko reconhece que a disputa será acirrada diante das condições oferecidas pela onda de Trestles, a mais manobrável do circuito.

— Eu adoro Trestles. É uma onda de alta performance e eu acho que todo mundo reconhece isso, mas também é uma onda extensa. Quando está bom é o tipo de onda onde todos parecem ser bons. Kelly (Slater) e Mick (Fanning) são sempre bons lá, Taj (Burrow) e Jordy (Smith) vestarão na briga, e eu também, acho. Gabe (Medina) e Julian (Wilson) tem grandes chances também — aponta.

Campeão da última etapa, o Billabong Pro Teahupoo, o australiano Adrian Buchan guarda boas recordações de Trestles. Número 10 do ranking, o surfista de 30 anos espera surpreender novamente:

— Lowers (Trestles) foi realmente onde minha carreira realmente começou. Eu tenho um vice-campeonato quando precisei me qualificar em 2005 e tive alguns resultados muito fortes ao longo dos anos, um monte de nono lugares e uma derrota nas quartas para o Kelly no ano passado, quando eu cometi alguns erros na escolha das ondas — disse Buchan.

Um dos desfalques da etapa é o irlandês Glen Hall, que ainda se recupera das fraturas na coluna sofridas em junho durante a etapa de Fiji. Hall será substituído pelo primeiro alternate, o californiano Patrick Gudauskas. Há sete dias do início do prazo, não houve outras desistências formalizadas junto a direção do evento e que podem alterar a chave de baterias da competição, que coloca uma bateria 100% verde amarela logo no primeiro round.

Adriano de Souza, Filipe Toledo e Alejo Muniz estarão da disputa da oitava bateria para ver quem irá avançar direto para a terceira fase. O australiano Owen Wright e o brasileiro Raoni Monteiro também estão de volta após ficarem de fora do Billabong Pro Teahupoo.



HURLEY PRO AT TRESTLES *sujeita a alterações

Round 1:
H1: Nat Young (AUS), Fredrick Patacchia (HAV), Dusty Payne (HAV)
H2: Taj Burrow (AUS), Bede Durbidge (AUS), Tiago Pires (POR)
H3: Jordy Smith (AFS), Matt Wilkinson (AUS), Patrick Gudauskas (EUA)
H4: Joel Parkinson (AUS), Travis Logie (AFS), Owen Wright (AUS)
H5: Mick Fanning (AUS), Kolohe Andino (EUA), Mitch Crews (AUS)
H6: Kelly Slater (EUA), Brett Simpson (EUA), Dane Reynolds (EUA)
H7: Josh Kerr (AUS), Gabriel Medina (EUA), Kieren Perrow (AUS)
H8: Adriano de Souza (BRA), Filipe Toledo (BRA), Alejo Muniz (BRA)
H9: C.J. Hobgood (EUA), Sebastian Zietz (HAV), Raoni Monteiro (BRA)
H10: Adrian Buchan (AUS), Jeremy Flores (FRA), Adam Melling (AUS)
H11: Julian Wilson (AUS), John John Florence (HAV), Miguel Pupo (BRA)
H12: Michel Bourez (TAH), Kai Otton (AUS), Damien Hobgood (EUA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário