terça-feira, 15 de outubro de 2013

Natação - Melhore sua hidrodinâmica

Fonte Prólogo, Daniel Balsa
A técnica de rotação do tronco ajuda a diminuir o arrasto (resistência da água), fazendo com que o atleta ganhe mais velocidade.
Aqueles que treinam há mais tempo sabem da importância da rotação do tronco durante o nado. É uma técnica muito utilizada nas provas, mas que costuma gerar duvidas entre os triatletas, sobretudo por não ser incentivada no inicios das aulas de natação. Embora seja fácil de realizar, só é abordada quando se busca resultado, performance. Para explicar o movimento, conversamos com Felipe Manente, triatleta e treinador na assessoria esportiva que leva o seu nome, e Danilo Bocalini, treinador de natação e especialista em fisiologia do exercício pela Universidade de São Paulo.
Por que utilizá-la?
Girar o tronco ao nadar deixa o movimento mais hidrodinâmico. É uma técnica essencial para quem visa um bom tempo. Mas cuidado: perde-se muita velocidade se não for bem executada, ainda mais durante as respirações frontais, nas quais a tendência é que o quadril abaixe, aumentando o arrasto.
O movimento
Deve-se girar o tronco de acordo com a braçada. Na fase submersa da braçada, quando alongamos o braço esquerdo à frente, antes de começar a puxada, o tronco deve girar de forma que o ombro do lado esquerdo fique submerso e o ombro direito se mantenha acima da linha da água. O movimento favorecerá a “puxada” da água para trás, o que gerará maior propulsão. O mesmo acontece com o lado oposto, dando a sequência ao ciclo de braçadas. Durante o movimento, a pernada é feita normalmente, de acordo com a característica de cada atleta.
Mais técnica, menos energia
Uma técnica afinada para a rotação do tronco compensa todo o gasto energético do movimento. Com o tempo, treinando, a tendência é que se gaste menos energia para fazer o giro do que um atleta que não faz o uso dessa prática.

Nenhum comentário:

Postar um comentário