sexta-feira, 20 de junho de 2014

Surf - 14º Campeonato Brasileiro de Surf na Pororoca

Por: George W. Noronha
Adilton Mariano - Raimundo Pacó
Adilton Mariano é Hepta
Na lua cheia de junho, a ABRASPO, Associação Brasileira de Surf na Pororoca, realizou a 14ª edição do Brasileiro da modalidade, evento que coroou o cearense Adilton Mariano como Heptacampeão de seu circuito.
Mostrando experiência e conhecimento do fenômeno, o Mr. Pororoca provou mais uma vez porque é conhecido como o Rei dos surfistas de ondas de maré superando o carioca Gabriel Pastori, o paulista caçador de pororocas Marcelo Bomfim e o cearense Ícaro Lopes, para faturar mais um título.

O início de mais uma saga
Como sempre, a aventura do certame anual oficial de pororocas foi repleta de emoções. Desde nossa chegada, na madrugada da quarta-feira, sob a forte chuva que caía na capital do Amapá, até o embarque no navio Mirage, que nos levou ao Arquipélago do Bailique, onde a competição foi realizada.
O primeiro dia foi dedicado ao reconhecimento do percurso do rio e análise das bancadas. Enquanto os atletas convidados acostumavam-se a onda, a equipe organizadora traçava os planos de segurança e ação para o evento que poderia ser realizado em um único dia, ali mesmo, na pororoca do Rio Livramento.
“Havíamos estado durante o Desafio Internacional de Surf naquele mesmo rio, no mês de março deste ano e já sabíamos do potencial de onda dessa pororoca e não poderíamos arriscar deixar o campeonato para o dia seguinte. Assim, resolvemos que o evento teria que rolar no sábado, 14, pois, tudo estaria sob o nosso total controle”, falou Noélio Sobrinho, Presidente da ABRASPO.
Após o Congresso Técnico dirigido pelos diretores de prova Marcelo Bibita e Noélio Sobrinho, realizado com todos os participantes da Operação Competição, atletas, imprensa, pilotos de lanchas voadeiras, jets skis e bananas boats, todos foram incumbidos de suas funções para que tudo pudesse funcionar a contento na hora que a sirene tocasse. E após o sorteio das baterias que definiu Adilton Mariano-CE x Gabriel Pastori-RJ e Icaro Lopes-CE x Marcelo Bomfim-SP, era só esperar a hora do show começar.
No dia seguinte os dois barcos de apoio se posicionaram próximo à foz do Rio Livramento para facilitar a operação, afinal de contas, não seria apenas a primeira vez que se estaria realizando um campeonato brasileiro naquela pororoca. Também seria a primeira vez em muitos anos que esse evento não estaria sendo realizado na mítica pororoca do Rio Araguari.
Pela primeira vez, uma operação de caça à pororoca é deflagrada no visual, com todos saindo do barco já vendo a pororoca no horizonte da foz do rio. Posicionados, atletas e comissão técnica nas bananas boats rebocados pelos Jet skis, e imprensa e pessoal de apoio nas voaderias, a caçada teve início.
Logo na aproximação inicial um dos Jet skis encalha, deixando todos em alerta. Mas, uma manobra rápida o deixou livre para seguir a caçada. Após alguns minutos de análise a Direção de Prova autorizou a entrada da primeira bateria na água na qual Adilton Mariano não teve muita dificuldade para superar o carioca Gabriel Pastori. Apesar da pororoca estar pequena, Adilton conseguiu extrair boas manobras para garantir vaga na grande final. Na sequência foi a vez do paulista Marcelo Bomfim surpreender e avançar sobre o cearense Campeão Brasileiro de Surf Universitário, Ícaro Lopes, garantindo sua vaga na final.
Definidos os finalistas, a Direção de Prova decidiu colocar a grande final na água em uma onda tão atípica, quanto foi todo o evento, no Back Wash do Rio Livramento. O Back Wash é um local onde a onda bate na margem e ao retornar forma uma parede vertical em uma sessão mais cavada. Assim que os dois atletas entraram na água a sirene indicou que dali pra frente apenas 5 minutos separavam o campeão do vice. Adilton tratou logo de subir na prancha e começar a desferir seus ataques certeiros. Marcelo, apesar de não ter se intimidado com a presença do multicampeão dando seu show particular, não foi capaz de superar o agora Heptacampeão Brasileiro de Surf na Pororoca.
“Vencer sempre é bom. Mas, aqui, isso não passa de um detalhe. A grandeza da natureza torna todos que aqui estão em campeões. O título é só a cereja do bolo. O bom mesmo é passar esses dias aqui na floresta, recarregando as baterias para enfrentar a vida real”, declarou Adilton, logo após o anúncio oficial de sua conquista.
Com o resultado as colocações ficaram da seguinte maneira:
1º Adilton Mariano-Ce
2º Marcelo Bomfim-SP
3º Ícaro Lopes-Ce
3º Gabriel Pastori-RJ
ABRASP e as novas fronteiras da pororoca brasileira
O desaparecimento da pororoca do Rio Araguari foi um duro golpe nos amantes das ondas de maré. A extinção repentina do Havaí das pororocas mostrou para o mundo que a natureza está morrendo e o homem precisa abrir os olhos para o que está acontecendo e tomar atitudes enérgicas urgentes para reverter esse quadro.
De fato, o processo de exploração e busca de uma pororoca que faça frente às ondas do Rio Araguari não será uma missão tão fácil. O lado bom de tudo isso (se é que se pode falar em lado bom de qualquer maneira nessa situação) é que inevitavelmente, novas ondas serão descobertas, dando início a mais um ciclo de desbravamentos e descobertas nos lugares mais remotos da selva amazônica e de todo o planeta.
Agora, a ABRASPO já planeja suas próximas expedições exploratórias, inclusive com um miraculoso plano de desbravar uma pororoca na Amazônia Venezuelana e a revelação de uma Superpororoca amapaense em local ainda em segredo guardado à sete chaves. E em setembro, durante as comemorações do Equinócio de Primavera, entre os dias 20 e 22, será lançado o livro AUÊRA AUARA-A história do surf na pororoca-Edição Especial para o Amapá, que conta com Prefácio assinado pelo Governador Camilo Capiberibe e o apoio do Senador João Alberto Capiberibe.  Mas, aí já são os próximos capítulos da interminável saga dos caçadores de pororoca.
Auêra-Auára!
O 14º Campeonato Brasileiro de Surf na Pororoca contou com o Patrocínio do Governo do Amapá. Apoio. CBS-Confederação Brasileira de Surf. Realização: ABRASPO-Associação Brasileira de Surf na Pororoca.
Por: George W. Noronha em 18/06/2014hs

Nenhum comentário:

Postar um comentário