quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Surf - QS 6000 Red Nose Pro Florianópolis SC, Costão do Santinho vai abrir perna brasileira

Por: João Carvalho
Alex Ribeiro é o cabeça de chave número 1 do Red Nose Pro Florianópolis SC (Foto: Sean Rowland – WSL)
A Ilha de Santa Catarina já está recebendo os surfistas de 24 países que vão competir no QS 6000 Red Nose Pro Florianópolis SC, que começa na próxima terça-feira na Praia do Santinho. São mais de 170 inscritos, mas o limite inicial é de 144 participantes para etapas de 6.000 pontos do WSL Qualifying Series e a prioridade é para os mais bem ranqueados. O evento apresentado pelo Costão do Santinho Resort Golf & Spa, vai abrir a “perna brasileira” de fim de ano da WSL South America com três provas decisivas na disputa pelas últimas vagas na lista dos dez indicados para completar a elite dos top-34 da World Surf League em 2016.
Cinco surfistas já confirmaram seus nomes e três são brasileiros, como os principais cabeças de chave do Red Nose Pro Florianópolis SC. O número 1 é o atual campeão sul-americano da WSL South America, Alex Ribeiro, que desembarcou no Aeroporto Hercílio Luz na quinta-feira para já ir treinando na Praia do Santinho. O outro é o também paulista Caio Ibelli, mas o primeiro a conquistar classificação para o WCT foi o catarinense Alejo Muniz, que não vai competir porque sofreu uma contusão participando da etapa encerrada na quinta-feira com vitória do campeão mundial Gabriel Medina na França.
O Red Nose Pro Florianópolis SC será a 26.a etapa do WQS a ser realizada na capital catarinense desde a divisão do Circuito Mundial em 1992. Em 2010, na última vez que a Praia do Santinho sediou uma etapa, o mesmo Medina já impressionava com seus apenas 16 anos de idade ao chegar na decisão do título, vencida pelo mais experiente Bernardo Pigmeu. Esta tinha sido a última etapa do Mundial em Florianópolis até o ano passado, quando a Federação Catarinense de Surf recolocou a cidade no cenário internacional do esporte, promovendo uma prova igualmente importante com premiação de 150 mil dólares na Praia da Joaquina.
VAGAS PARA O WCT – O vencedor foi o cearense Michael Rodrigues, que mora na Ilha da Magia e está na porta de entrada da zona de classificação para o WCT. Ele precisa repetir o bom resultado para entrar no G-10 em Florianópolis, pois tem que chegar nas semifinais para ultrapassar o francês Joan Duru, que vem ao Brasil defender a última posição na lista contra vários adversários. Além dele, o seu compatriota Maxime Huscenot, penúltimo colocado que acabou com a chance de Filipe Toledo seguir brigando pela ponta do ranking mundial no WCT da França, também está confirmado para tentar manter sua vaga, assim como o norte-americano Kanoa Igarashi e o australiano Ryan Callinan.
A Austrália com vinte participantes e os Estados Unidos com dezenove, formam os maiores pelotões estrangeiros entre os 24 países que estarão representados na Praia do Santinho. Serão 41 brasileiros enfrentando ainda dez surfistas do Havaí, nove da França, seis de Portugal, seis da Espanha, seis da África do Sul, quatro do Japão, três do Chile, três da Ilha Guadalupe, dois da Argentina incluindo Santiago Muniz, vice-campeão na final contra Michael Rodrigues na Praia da Joaquina no ano passado, mais dois do Peru, dois da Costa Rica, dois da Ilha Reunião e outros nove países terão um atleta se apresentando na Praia do Santinho, Uruguai, Venezuela, Porto Rico, Taiti, Itália, Marrocos, Nova Zelândia, Indonésia e São Bartolomeu.
DESTAQUES DOS 24 PAÍSES– Os principais cabeças de chave de cada país são o número 1, Alex Ribeiro do Brasil, o 2 Kanoa Igarashi dos Estados Unidos, o 4 Ryan Callinan da Austrália, o 5 Joan Duru da França, o destaque do Havaí é Tanner Hendrickson (11.o cabeça de chave), que saiu do G-10 na etapa passada em Portugal, do Japão é Hiroto Ohhara (10.o) campeão do QS 10000 US Open of Surfing, da África do Sul é Beyrick De Vries (25.o), de Portugal é o carioca Pedro Henrique (29.o) quem está mais próximo da zona de classificação para o WCT, da Espanha é o ex-top da elite Aritz Aranburu (44.o), de Guadalupe é Charles Martin (18.o) e do Chile é Manuel Selman (106). Estes são os países com três ou mais representantes.
Com dois tem a Argentina com Santiago Muniz (23.o cabeça de chave) sendo o mais bem colocado no WSL Qualifying Series, do Peru é Miguel Tudela (58), da Costa Rica é Noe Mar McGonagle (18.o) e da Ilha Reunião o principal é Medi Veminardi (41). E a relação dos nove países que terão um representante no Red Nose Pro Florianópolis SC começa pela Nova Zelândia de Billy Stairmand (16.o), segue com a Itália de Leonardo Fioravanti (36), Marrocos com Ramzi Boukhiam (57), Porto Rico com Brian Toth (70), Indonésia com Oney Anwar (79), Uruguai com Marco Giorgi (80), São Bartolomeu com Dimitri Ouvre (82), Taiti com Mihimana Braye (96) e Venezuela com Francisco Bellorin (99).
O QS 6000 Red Nose Pro 15 Florianópolis SC tem o patrocínio master da Red Nose, com apresentação do Costão do Santinho Resort Golf & Spa, patrocínio do Governo do Estado de Santa Catarina, através da Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte, copatrocínio da Prefeitura de Florianópolis e Fundação Municipal de Esportes e apoio de Mini Kalzone. O evento é homologado pela WSL South America e organizado pela Federação Catarinense de Surf (FECASURF) com apoio da Associação de Surf Ingleses e Santinho (ASIS), divulgação oficial do site Waves e Revista Fluir, com transmissão ao vivo pelowww.worldsurfleague.com
SOBRE A RED NOSE – A Red Nose foi criada em 1996, quando o idealizador da marca conheceu o Pitbull Red Nose, o “puro pitbull”, uma raça até então pouco conhecida. Foi inspirada na agilidade, força, atitude e coragem deste animal que nasceu a Red Nose, uma das marcas mais Xtremes do mundo, dos esportes de ação mais intensos e radicais. Começou apoiando as lutas de Jiu Jitsu e MMA, depois outras modalidades como o Big Surf, Skate, Caiaque, Paraquedismo, Motocross e Motorsports, se incorporaram ao team Red Nose Xtreme. Em 2014 promoveu o seu primeiro evento internacional de surf, o Red Nose Pro Junior em Baía Formosa (RN), agora estreia no calendário mundial do World Surf League Qualifying Series com a etapa do QS 6000 em Florianópolis (SC).
PERNA BRASILEIRA – O Red Nose Pro Florianópolis SC vai abrir a “perna brasileira” de fim de ano da WSL South America nos dias 20 a 25 de outubro na Praia do Santinho, extremo norte da Ilha de Santa Catarina. Na semana seguinte, do dia 27 a 1.o de novembro, acontece outra etapa do QS 6000 na Bahia, o já tradicional Mahalo Surf Eco Festival na Praia da Tiririca, em Itacaré. Já a última parada antes do encerramento da temporada na Tríplice Coroa Havaiana, será novamente na etapa do QS 10000 de São Sebastião, marcada para os dias 2 a 9 de novembro na Praia de Maresias, no litoral norte de São Paulo.
SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – a World Surf League (WSL) organiza as competições anuais de surfe profissional e as transmissões ao vivo de cada etapa pelo worldsurfleague.com, com todo o drama e aventura do surfe competitivo em qualquer lugar e na hora que acontecer. As sanções da WSL são para os circuitos: World Surf League Championship Tour (CT), que define os campeões mundiais da temporada, Qualifying Series (QS), Big Wave Tour, Longboard e Pro Junior. A organização da WSL está sediada em Santa Monica, Califórnia, com escritório comercial em Nova York, além de sete escritórios regionais de apoio na organização dos eventos, na América do Norte, Havaí, América do Sul, Europa, Austrália, África e Ásia.
————————————————————————
João Carvalho – WSL South America Media Manager
(48) 9988-2986 – jcarvalho@worldsurfleague.com
Assessoria de Imprensa do Red Nose Pro 15 Florianópolis SC:
Fabio Maradei – (13) 98128-9529 – contato@fmanoticias.com.br
Norton Evaldt – (48) 9128-3642 – norton@fecasurf.com.br
————————————————————————
CAMPEÕES DAS 25 ETAPAS DO MUNDIAL WQS MASCULINO EM FLORIANÓPOLIS:
——— 12 na Praia da Joaquina + 10 na Praia Mole + 3 na Praia do Santinho
2014: Michael Rodrigues (BRA-CE) no 6-Star Oceano Santa Catarina Pro na Praia da Joaquina
2010: Bernardo Pigmeu (BRA-PE) no 4-Star SuperSurf Internacional na Praia do Santinho
2010: Aritz Aranburu (ESP) no 6-Star Maresia Surf Internacional na Praia Mole
2009: Gabriel Medina (BRA-SP) no 6-Star Maresia Surf Internacional na Praia Mole
2007: Simão Romão (BRA-RJ) no 6-Star Mormaii Costão Pro na Praia do Santinho
2006: Patrick Beven (FRA) no 6-Star Costão Pro Floripa na Praia do Santinho
2005: Heitor Alves (BRA-CE) no 6-Star Onbongo Pro Surfing na Praia Mole
2004: Richard Lovett (AUS) no 6-Star Onbongo Pro Surfing na Praia Mole
2003: Patrick Beven (FRA) no 6-Star Onbongo Pro Surfing na Praia Mole
2002: Chris Davidson (AUS) no 6-Star Onbongo Pro Surfing na Praia Mole
2002: Travis Logie (AFR) no 4-Star Petrobras Open Surf na Praia da Joaquina
2002: Anselmo Correia (BRA-RJ) no 4-Star Reef Classic na Praia Mole
2001: Mikael Picon (FRA) no 4-Star Reef Classic na Praia da Joaquina
2000: Trent Munro (AUS) no 4-Star Maresia Surf Floripa na Praia Mole
2000: Armando Daltro (BRA-BA) no 4-Star Reef Classic na Praia da Joaquina
1999: Neco Padaratz (BRA-SC) no 6-Star Maresia Surf Floripa na Praia Mole
1999: Fábio Gouveia (BRA-PB) no 4-Star Reef Brazil Classic na Praia da Joaquina
1998: Jake Paterson (AUS) no 6-Star Maresia Surf Floripa na Praia Mole
1998: Neco Padaratz (BRA-SC) no 4-Star Reef Brazil Classic na Praia da Joaquina
1995: Neco Padaratz (BRA-SC) no 2-Star Nescau Surf Energy na Praia da Joaquina
1994: Shane Dorian (HAV) no 2-Star Nescau Surf Energy na Praia da Joaquina
1993: Pedro Muller (BRA-RJ) no 2-Star Nescau Surf Energy na Praia da Joaquina
1993: Tinguinha Lima (BRA-SP) no 1-Star Op Pro Floripa na Praia da Joaquina
1992: Michael Barry (AUS) no 3-Star Sea Club Final Heat na Praia da Joaquina
1992: Jojó de Olivença (BRA-BA) no 2-Star Florianópolis Pro na Praia da Joaquina
144 INSCRITOS NO RED NOSE PRO FLORIANÓPOLIS SC – dividida por países por ordem de cabeça de chave:
BRASIL – 41 surfistas: Alex Ribeiro (SP-01), Caio Ibelli (SP-03), Michael Rodrigues (CE-08), Jessé Mendes (SP-21), Heitor Alves (CE-33), Deivid Silva (SP-35), David do Carmo (SP-40), Ian Gouveia (PE-43), Thiago Camarão (SP-49), Luel Felipe (PE-50), Marco Fernandez (BA-53), Lucas Silveira (RJ-55), Bino Lopes (BA-56), Willian Cardoso (SC-60), Krystian Kymerson (ES-65), Jean da Silva (SC-66), Robson Santos (SP-69), Hizunomê Bettero (SP-71), Victor Bernardo (SP-85), Messias Felix (CE-91), Matheus Navarro (SC-93), Alan Donato (PE-95), Rafael Teixeira (ES-97), Flavio Nakagima (SP-98), Thiago Guimarães (SP-100), Halley Batista (PE-110), Yago Dora (SC-112), Paulo Moura (PE-117), Luan Wood (SC-118), Renato Galvão (SP-126), Cainã Barletta (SC-134), Caetano Vargas (PR-136), Alcides Lopes (SC-138), Gabriel André (PE-140), Raphael Seixas (PB-141) e mais seis convidados a serem anunciados pelos organizadores e patrocinadores
AUSTRÁLIA – 20 surfistas: Ryan Callinan (04), Davey Cathels (07), Jack Freestone (09), Stu Kennedy (13), Connor O´Leary (14), Cooper Chapman (17), Wade Carmichael (20), Soli Bailey (24), Brent Dorrington (26), Yadin Nicol (27), Nathan Hedge (34), Dion Atkinson (42), Thomas Woods (51), Michael Wright (62), Perth Standlick (63), Garrett Parkes (78), Cahill Bell-Warren (84), Teale Vanner (122), Cody Robinson (129) e Harrison Mann (133)
ESTADOS UNIDOS – 19 surfistas: Kanoa Igarashi (02), Nathan Yeomans (12), Michael Dunphy (15), Tanner Gudauskas (30), Conner Coffin (32), Patrick Gudauskas (37), Evan Geiselman (38), Noah Schweizer (68), Parker Coffin (81), Cory Arrambide (83), Nic Hdez (94), Derek Peters (108), Ian Crane (115), Taylor Clark (119), Johnny Noris (124), Jake Davis (125), Matt Passaquindici (127), Balaram Stack (130) e Colt Ward (139)
HAVAÍ – 10 surfistas: Tanner Hendrickson (11), Ezekiel Lau (22), Granger Larsen (31), Torrey Meister (39), Joshua Moniz (54), Kiron Jabour (73), Keoni Yan (90), Ian Gentil (109), Seth Moniz (113) e Kekoa Cazimero (131)
FRANÇA – 9 surfistas: Joan Duru (05), Maxime Huscenot (06), Marc Lacomare (28), Nomme Mignot (67), Andy Criere (75), Nelson Cloarec (92), Paul Cesar Distinguin (114), Tristan Guilbaud (121) e Diego Mignot (123)
ÁFRICA DO SUL – 6 surfistas: Beyrick De Vries (25), Michael February (59), Dale Staples (77), Dylan Lightfoot (89), David Van Zyl (102) e Slade Prestwich (111)
PORTUGAL – 6 surfistas: Pedro Henrique (29), Frederico Morais (61), José Ferreira (72), Nic Von Rupp (74), Tomas Fernandes (76), Eduardo Fernandes (142)
ESPANHA – 6 surfistas: Aritz Aranburu (44), Gony Zubizarreta (52), Vicente Romero (86), Hodei Collazo (105), Ethan Egiguren (116) e Jatyr Berasaluce (135)
JAPÃO – 4 surfistas: Hiroto Ohhara (10), Hiroto Arai (64), Shun Murakami (103) e Reo Inaba (104)
GUADALUPE – 3 surfistas: Charles Martin (18), Timothee Bisso (101) e Gatien Delahaye (107)
CHILE – 3 surfistas: Manuel Selman (106), Guillermo Satt (128) e Nicolas Vargas (137)
COSTA RICA – 2 surfistas: Noe Mar McGonagle (19) e Tomas King (132)
ARGENTINA – 2 surfistas: Santiago Muniz (23) e Leandro Usuna (87)
ILHA REUNIÃO – 2 surfistas: Medi Veminardi (41) e Jorgann Couzinet (88)
PERU – 2 surfistas: Miguel Tudela (58) e Lucca Mesinas Novaro (120)
NOVA ZELÂNDIA: Billy Stairmand (16)
ITALIA: Leonardo Fioravanti (36)
MARROCOS: Ramzi Boukhiam (57)
PORTO RICO: Brian Toth (70)
INDONÉSIA: Oney Anwar (79)
URUGUAI: Marco Giorgi (80)
SÃO BARTOLOMEU: Dimitri Ouvre (82)
TAITI – Mihimana Braye (96)
VENEZUELA – Francisco Bellorin (99)

Nenhum comentário:

Postar um comentário