segunda-feira, 31 de julho de 2017

Surf - Big Wave Tour, Kai Lenny vence no México.

Fonte Waves_
Video da Final
Kai Lenny, Puerto Escondido Challenge 2017, Zicatela, México. Foto: Lucano Hinkle.
O havaiano Kai Lenny acaba de vencer o Puerto Escondido Challenge, etapa do Big Wave Tour disputada em Puerto Escondido, México.
Na final, Lenny conseguiu uma nota 8.60 para virar o placar contra o australiano Jamie Mitchell, totalizando 23.53 pontos (nas etapas do BWT, a melhor nota de cada atleta é duplicada). Até então, o havaiano tinha 6.33 como melhor nota, contra 3.10 e 7.77 de Mitchell.

Em terceiro ficou o britânico Tom Lowe, seguido por Billy Kemper, do Havaí, Alex Botelho, de Portugal, e Trevor Carlson, mais um havaiano que chegou à finalíssima.
O brasileiro Pedro Calado, finalista no ano passado, não passou pela estreia. O carioca quase completou um belo canudo em sua bateria, mas caiu quando estava prestes a sair e não conseguiu surfar outra onda para garantir a classificação.

Surf - Phil Rajzman e Atalanta ganham os títulos sul-americanos de 2017 no Huanchaco Repalsa Longboard Pro

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
João Carvalho – WSL South America Media Manager.
O bicampeão mundial Phil Rajzman conseguiu o desejado título sul-americano da WSL South America que faltava em sua carreira e Atalanta Batista manteve sua invencibilidade no Peru com uma nota 10 na decisão do Huanchaco Repalsa Longboard Pro 2017. O sábado foi um dia de mar enorme na Playa El Elio, exigindo um bom preparo físico para suportar a força das ondas de 6-8 pés entrando sem parar durante todo o dia. Atalanta garantiu o tricampeonato na onda que pegou nos minutos finais da bateria liderada pela número 1 do mundo, Chloé Calmon. A americana Kaitlin Maguire ficou em terceiro lugar e a peruana Carolina Thun em quarto. A grande surpresa foi o jovem Julian Schweizer, 17 anos apenas e primeiro uruguaio a chegar na final em sete edições do Mundial de Huanchaco no Peru.
“Estou muito feliz com meu primeiro título sul-americano aqui no Peru. As condições estavam difíceis, a maré muito seca, mas achei boas ondas e estou muito feliz”, vibrou Phil Rajzman. “A correnteza também estava muito forte, tivemos que remar muito mais, as ondas estão muito difíceis de achar as boas, mas tentei manter a tranquilidade na final e tive sorte também. O Julian (Schweizer) é muito talentoso, o Piccolo (Clemente) já havia me falado dele, que tinha potencial para ganhar esse campeonato, mas estou muito contente por ter conseguido o título sul-americano, que há muitos anos venho buscando. Quero agradecer a todos aqui do Peru e do Brasil também, é mais um título aí pra galera festejar comigo”.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Surf - Huanchaco Repalsa Longboard Pro começa sexta-feira no Peru

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Piccolo Clemente (PER) (Susu Nasser).
O Huanchaco Repalsa Longboard Pro apresentado pela Motorola no Peru, vai definir os campeões sul-americanos da temporada 2017 da WSL South America nesta sexta-feira e sábado em Trujillo, no litoral norte do país andino. Os 28 concorrentes ao título masculino e as dez participantes da categoria feminina, já estão escalados para estrear nas ondas de El Elio, no balneário de Huanchaco. A primeira chamada da sexta-feira será às 8h00 no Peru, 10h00 no fuso horário de Brasília, e o evento será transmitido ao vivo pelo worldsurfleague.com
A disputa pelo título masculino vai reunir competidores de sete países. A maioria é do Peru e do Brasil, com dez representantes cada. A Argentina, Uruguai e Venezuela, participam com dois longboarders e a Costa Rica e Equador com um. Entre as concorrentes ao troféu de campeã sul-americana, cinco são do Brasil e três do Peru. Duas norte-americanas também se inscreveram para brigar pela premiação, mas não pontuam no ranking da WSL South America.
Se a comissão técnica decidir iniciar a sétima edição do Huanchaco Repalsa Longboard Pro pela categoria masculina, o atual campeão mundial, Phil Rajzman, vai abrir a competição. Ele é o cabeça de chave número 1 e foi escalado na primeira bateria, junto com o também brasileiro Alexandre Escobar e o costa-ricense Anthonny Flores. Já o também bicampeão mundial Piccolo Clemente, que já venceu esse campeonato três vezes em incríveis cinco finais disputadas em casa, está na quinta bateria. Seus primeiros adversários serão o também peruano Juan Jose Corzo e o uruguaio Ignacio Pignataro.
Caso o Huanchaco Repalsa Longboard Pro comece pela categoria feminina, a atual líder do ranking mundial da World Surf League, Chloé Calmon, fará a sua estreia na etapa peruana do Longboard Qualifying Series (LQS) na primeira bateria da sexta-feira. Será um confronto 100% brasileiro com Isabela Panza e Monique Pontes. Já a pernambucana Atalanta Batista, bicampeã sul-americana de 2014 e 2015 nas duas últimas edições do Mundial de Huanchaco, fará sua primeira defesa do título na quarta e última bateria, contra a norte-americana Kaitlin Maguire e a peruana Ana Camila Kaspar.
O Huanchaco Repalsa Longboard Pro é um dos campeonatos mais tradicionais do mundo na modalidade praticada em pranchões, como nos primórdios do surfe. A primeira edição aconteceu em 2010 e só não foi realizado no ano passado. O primeiro campeão foi o brasileiro Rodrigo Sphaier, batendo Piccolo Clemente na bateria final. O peruano festejou seu primeiro título sul-americano em 2011, mas no ano seguinte perdeu de novo, para Jeferson da Silva.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Surf - Filipe Toledo é o campeão do Corona J-Bay Open

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Filipe Toledo (SP) (@WSL / Kelly Cestari).
Uma final luso-brasileira fechou o Corona Open J-Bay nas direitas perfeitas de Supertubes, na quinta-feira em Eastern Cape, África do Sul. Em um dos eventos com as melhores ondas da história do World Surf League Championship Tour, Filipe Toledo deu um show para conquistar sua quarta vitória na carreira e subiu da 14.a para a sétima posição no ranking, que continua liderado pelo australiano Matt Wilkinson. Frederico Morais barrou o campeão mundial Gabriel Medina nas semifinais e se tornou o primeiro surfista de Portugal a chegar na final em etapas do CT. Com o vice-campeonato, ele foi do 18.o para o 12.o lugar no Jeep WSL Leaderboard.
“Eu nem posso acreditar nisso. Sempre sonhei em ganhar esse campeonato aqui em J-Bay, surfando ondas perfeitas assim”, disse Filipe Toledo, que competiu na África do Sul com o cabelo pintado de verde. “Eu só tenho que agradecer a Deus pela incrível semana que tivemos aqui. Toda a minha família está aqui me apoiando e tudo isso é inacreditável, não sei nem o que dizer. Acho que vou deixar meu cabelo assim no restante do ano (risos)”.
A decisão do título foi eletrizante, mas Filipe começou bem com nota 9,17 em sua segunda onda e controlou toda a bateria. Quando Frederico Morais entrou na briga numa onda que valeu 8,33, o brasileiro respondeu com a mesma nota. Na onda seguinte, o português destruiu uma direita com grandes arcos e batidas e rasgadas executadas nos pontos críticos, para ganhar a maior nota da bateria – 9,40. No entanto, Filipe deu o troco em outra apresentação agressiva, atacando cada espaço da onda e entubando, para tirar nota 8,83 e sacramentar a vitória e o prêmio máximo de 100.000 dólares por 18,00 a 17,73 pontos.
“Foi uma semana maravilhosa”, disse Filipe Toledo. “Este, definitivamente, será o evento que lembrarei por quarenta ou cinquenta anos. Não porque eu ganhei, mas por causa do nível do surfe e das altas ondas que rolaram durante todos os dias. Em J-Bay, com ondas incríveis e esse nível de surfe, foi perfeito. Agradeço toda a minha equipe que me ajudou e a minha filha e esposa, que estiveram aqui a semana toda me apoiando”.
Apesar da derrota na final, Frederico Morais fez grandes apresentações em sua primeira vez competindo em Jeffreys Bay. Ele barrou dois campeões mundiais nas fases decisivas. Contra o atual, John John Florence, conseguiu uma virada espetacular nas duas últimas que surfou nessa bateria pelas quartas de final. Uma valeu 9,77 e na seguinte superou o havaiano com sua primeira nota 10 no CT. Na semifinal contra Gabriel Medina, aproveitou muito bem as oportunidades que teve para surfar numa bateria marcada por longas calmarias, com poucas ondas entrando para o brasileiro tentar reverter o resultado de 17,37 a 14,70 pontos.
“Eu simplesmente amo esse lugar, é incrível”, disse Frederico Morais. “As ondas são surpreendentes, o clima é parecido com o de casa e a vibração que você sente aqui é uma loucura. Estou muito feliz por ter surfado contra caras como o John John (Florence), o Mick (Fanning), o Adriano (de Souza), o Gabriel (Medina), o Filipe (Toledo). Eles são os melhores, campeões mundiais, então se você quiser vence-los, precisa estar preparado para tudo. Mais feliz ainda por ser o primeiro surfista de Portugal a fazer uma final no World Tour. Então só tenho que agradecer, obrigado a todos que me apoiaram e que torcem por mim”.
Realmente, parecia impossível alguém ganhar de Filipe Toledo na África do Sul. Ele fez três baterias sensacionais nas ondas de 6-8 pés da quinta-feira em Jeffreys Bay. O primeiro desafio foi contra um dos favoritos ao título, o sul-africano Jordy Smith, que na terça-feira fez uma bateria perfeita com duas notas 10. O brasileiro também ganhou duas notas máximas, a primeira do campeonato e também na terça-feira, quando usou os aéreos para conquistar a classificação direta para as quartas de final, mandando o próprio Smith para a repescagem.
Filipe apresentou seu arsenal de manobras modernas e progressivas, pegou lindos tubos e liquidou o sul-africano com as notas 9,50 e 9,20 das duas primeiras ondas que surfou. A vitória foi massacrante, por “combination”, no placar encerrado em 18,70 a 13,26 pontos. Na disputa seguinte, Julian Wilson barrou o líder do ranking no duelo australiano que fechou as quartas de final. Matt Wilkinson permanece com a lycra amarela de número 1 do Jeep WSL Leader e Wilson também não teve qualquer chance contra Filipe nas semifinais. O brasileiro venceu por “combination” novamente, por 16,63 a 11,33 pontos.

Surf - Chilenos e peruanos se destacam nos tubos de El Gringo

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Martin Jeri (PER) (Mauricio Lazo).
Os donos da casa brilharam nas boas ondas de 6-8 pés da quinta-feira no Chile, com Nicolas Vargas e Manuel Selman surfando os melhores tubos da semana em El Gringo. Outro destaque do terceiro dia do QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour by Cerveza Corona & Canon, foi a participação peruana. Eles ganharam a maioria das dezesseis baterias no mais longo dia de competição em Arica, seis no total, com Martin Jeri pegando o primeiro tubaço da quinta-feira. A condição do mar estava tão boa que a terceira fase foi iniciada e o líder do ranking sul-americano da WSL South America, o brasileiro Thiago Camarão, foi um dos seis surfistas que já avançaram para a rodada classificatória para as quartas de final do QS 3000 do Chile.
Camarão participou do primeiro confronto do dia e não conseguiu pegar boas ondas, mas fez o suficiente para vencer. Depois, voltou ao mar para disputar a segunda bateria da terceira fase e dessa vez achou os tubos para computar notas 8,23 e 6,17 no segundo maior placar da quinta-feira, 14,40 pontos, que só ficou abaixo do novo recordista absoluto do Maui and Sons Arica Pro Tour, o chileno Nicolas Vargas, com nota 9,20 e 16,20 pontos. O norte-americano Jordy Collins avançou junto com Thiago Camarão para a quarta fase, derrotando os outros dois brasileiros que competiram nessa bateria, João Chianca e Lucas Silveira.
“Foi uma bateria difícil, porque todos que estava nela surfam muito bem”, disse Thiago Camarão. “Então, meu plano foi tentar pegar o maior número de ondas possível, porque na bateria que disputei pela manhã, fiquei esperando demais para surfar. Acho que agora eu estava mais motivado e focado para ir bem nessa bateria, então estou feliz que deu tudo certo e eu avancei para a próxima fase”.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Surf - Peruano e norte-americanos brilham no QS 3000 do Chile

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Alvaro Malpartida (PER) (Rodrigo Farias / Aguasagrada).
O indesejado vento maral que acaba com a formação dos tubos em El Gringo, entrou mais cedo na quarta-feira e o QS 3000 Maui and Sons Arica Pro Tour by Cerveza Corona & Canon teve que ser paralisado após a oitava das doze baterias programadas para o segundo dia no Chile. Foram realizadas as cinco que restavam para fechar a primeira fase e mais três da segunda, com os norte-americanos se sobressaindo com três vitórias e seis classificações. Mas, o grande destaque do dia foi o peruano Alvaro Malpartida, que se tornou o recordista absoluto do campeonato com nota 8,67 e 15,17 pontos. Foi no penúltimo confronto do dia e o evento parou quando o brasileiro Thiago Camarão ia começar a defender a liderança do ranking sul-americano da WSL South America. A sua estreia em Arica ficou para as 7h00 da quinta-feira no Chile, 8h00 no fuso horário de Brasília, ao vivo pelo worldsurfleague.com
“Eu adoro vir aqui para Arica e acho que essa onda de El Gringo é uma das cinco melhores do mundo, certamente”, disse Alvaro Malpartida, que já fez duas finais no Chile, em 2009 e 2013. “Eu amo o perigo de surfar aqui e especialmente esses tubos incríveis. Eu tenho muito respeito por essa onda, mas muito amor também. Acho que é necessário construir uma relação com ela e com o tempo ela pode mostrar o seu lado mágico para você”.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Surf - Lucinho Lima Vence Duplamente no CBSurf Master do Rota do Mar

Fonte CBSurf_
Lucinho Lima CE CBSSurf  Master no Rota do Mar Surf and Music 2017 Maracaipe Ipojuca PE - Foto Lucas Galindo.
O master cearense Lucinho Lima, com as médias mais altas das finais, foi campeão Sênior (+28) e Master (+35) na abertura do CBSurf Master disputada no fim de semana (15 e 16 de julho) em Maracaípe, Ipojuca, PE, e válida como segunda de três provas do Rota do Mar Surf and Music, que prosseguirá com o Nordestino Profissional neste sábado e domingo (22 e 23 de julho).

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Surf - “Sem Sérebro Surf Club” nas Mentawai

 Fonte SS_
Sem Sérebro Diassis Machado - Foto Arquivo Pessoal. 
A “Sem Sérebro Surf Club” organizou, em conjunto com os Surfmasters da Praia do Futuro, uma barca para as ilhas Mentawai, na Indonésia, no período de 10 a 25 de junho. Participaram da viagem, além do Sem Sérebro Diassis Machado, os surfistas Carlos Alexandre (Xexéu), Gilson Soares, Fernando, Anastácio, Fábio Távora, Felipe Carvalho, Gustavo, João Paulo, Renato Marinho, Rodrigo Carneiro, Fábio Pisca e o body boarder Carlos Bellini. O grupo fechou a barca a bordo do Star Koat, barco da Mentawai Surf Charters (Kadu), tendo como guia e fotógrafo oficial o Paulo Mendes.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Surf - CBSurf Master, Experiência no Outside

Fonte Waves - Por Chico Padilha_
Primeira etapa do Circuito Brasileiro Master rola nos dias 15 e 16 de julho, em Maracaípe (PE). Foto: Eros Sena.
Nos dias 15 e 16 de julho, Maracaípe recebe a abertura do Circuito CBSurf Master, com suas tradicionais categorias Master, Grand Master, Kahuna e Grand Kahuna. A expectativa é reunir grandes nomes do surfe nacional com a disputa de uma premiação de R$ 20 mil entre os quatro melhores colocados, 2.000 pontos no ranking e troféus.
Fechando o evento, nos dias 22 e 23 de julho, a praia sedia a segunda etapa do Circuito Nordestino de Surf Profissional com competições nas categorias Profissional, Open, Junior e Mirim. A pontuação também será válida para o Circuito Pernambucano de Surf. Os quatro melhores atletas da categoria profissional disputarão R$ 10 mil em prêmios. Os vencedores das demais receberão prancha, bloco, kits de produtos Rota do Mar e troféus.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Surf - Os Surfistas Ulisses Vinicius (13 anos) e Lapo Coutinho em Nias. Team Greenish

Por Daniel Bezerra, Team Manager Greenish_
Fotos Justin e Hash (fotógrafos casca grossa de Nias)
Junho foi um mês abençoado na indonésia, um grande swell encostou na ilha fazendo a alegria de muitos tuberiders ali presente. Os surfistas Ulisses Vinicius (13 anos) e Lapo Coutinho Surfista de ondas grandes e sua namorada Nicole Parcelli desfrutaram as boas ondas que quebraram em Nias, que fica no noroeste da indonésia mais precisamente na costa de Sumatra. Todos pegaram altas ondas e tubos bem largos, característica marcante da onda de Lagundri Bay e sairam de lá com a missão cumprida e o dever de voltar a esse paraíso das direitas chamado Nias. Confira alguns momentos dessa trip, e em breve lançaremos o video completo. Por Daniel Bezerra, Team Manager Greenish.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Surf - Circuito Cearense, Soberano no Futuro

Fonte Waves_
Artur protagoniza virada espetacular. Foto: Jocildo Andrade.
No último domingo (2/7), a famosa praia do Futuro, em Fortaleza, serviu mais uma vez de palco para o show de alguns dos melhores atletas do surfe nordestino. Nada menos que 12 categorias definiram seus líderes na corrida pelos cobiçados títulos do Circuito que é considerado uma dos mais competitivos do país.
Os primeiros a entrar na água pra definir o ranking cearense foram os aspirantes a estrelas da categoria Junior, com Marcos Aurélio superando Mathias Ramos, Lucas Bezerra e Raone Ribeiro. Em uma bateria bem disputada, o grande campeão conseguiu entrar em sintonia com o surfe para arrancar dos árbitros as melhores notas e sair da PF na ponta da corrida pelo título do circuito.
Na sequência, foi a vez de os profissionais caírem na água na bateria mais adrenalizante de todo o evento, para delírio da grande torcida presente na praia. Na água, nomes consagrados do surfe cearense buscaram um dos títulos mais difíceis e desejados do surfe nacional.
Esbanjando experiência e flexibilidade, o veterano Dunga Neto mostrou que ainda tem muita lenha pra queimar com uma performance contundente, liderando de ponta a ponta a bateria mais importante da competição. Contudo, faltando pouco mais de dois minutos, o atleta local da Praia do Futuro, Artur Silva, encontrou uma ótima onda em que conseguiu um 8.25, colocando muita pressão em Dunga, que partiu para uma estratégia de marcação, já que Artur passou a precisar apenas de um 6 baixo para virar para a primeira colocação.

Ciclismo - Froome cai e Kittel vence pela décima vez no Tour

Fonte Ativo- Por André Sender_
Dono de três títulos do Tour de France, o britânico Chris Froome teve um começo de evento acidentado. Literalmente. O atleta do Team Sky sofreu uma queda neste domingo, dia da segunda etapa da prova mais tradicional do ciclismo mundial. Ele voltou a sua bicicleta e terminou o estágio em 37º.

Surf - Maui and Sons Arica Pro Tour promove QS 3000 no Chile

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Jeronimo Vargas (BRA) (Rodrigo Farias / Aguasagrada).
O aumento do investimento público/privado na premiação do Maui and Sons Arica Pro Tour by Corona & Canon no Chile, já causou um efeito positivo para a etapa mais tradicional do calendário da WSL South America. O valor oferecido aos mais bem colocados triplicou, de 25 mil dólares do QS 1500 do ano passado, para 75 mil dólares, com a vitória no evento passando a valer importantes 3.000 pontos no ranking do WSL Qualifying Series. Com isso, mais de setenta surfistas de vários países já se inscreveram para desafiar a temida onda de El Gringo, na semana dos dias 17 a 23 de julho em Ex Isla Alacrán, no Chile.
O francês Willian Aliotti já garantiu sua vaga para defender o título conquistado com os tubos incríveis que surfou na final do ano passado com o australiano Dean Bowen. O vice-campeão também confirmou participação, assim como alguns destaques do ranking do WSL Qualifying Series esse ano, como o número 15, Oney Anwar, da Indonésia, o atual líder do ranking sul-americano da WSL South America, Thiago Camarão (21.o no QS), o também brasileiro Hizunomê Bettero (26.o), o francês Marc Lacomare (24.o), entre outros.
Os surfistas do Peru também sempre figuram na lista dos favoritos ao título no Desafio de Arica, pois foi um peruano quem venceu a primeira etapa do QS em El Gringo em 2009, Gabriel Villaran. Além dele, Alvaro Malpartida foi o campeão nos tubos de El Gringo em 2013. No momento, o mais bem colocado no ranking mundial é Miguel Tudela, em 33.o lugar. Esse ano, ele já foi finalista de uma etapa do QS 1000 em Sunset Beach, no Havaí, e semifinalista no QS 3000 de Durban, semanas atrás na África do Sul.
Entre os chilenos, o surfista patrocinado pela Maui and Sons, Manuel Selman, campeão pan-americano, é quem está melhor no ranking do QS, em 112.o lugar. Depois dele, tem Nicolas Guajardo Vargas na posição número 233 e em 236 está o Rapa Nui, Roberto Araki, um dos primeiros a se inscrever no campeonato esse ano.

Surf - Huanchaco Repalsa Longboard Pro volta a definir os campeões sul-americanos no Peru

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Phil Rajzman (BRA) (Renato Moreno / Olas Norte).
Um dos campeonatos mais tradicionais da modalidade que resgata o início da prática do surfe, volta a ser disputado no Peru esse ano. O Huanchaco Repalsa Longboard Pro Peru vinha decidindo os títulos sul-americanos da WSL South America até 2015 e retorna agora para realizar sua sétima edição nos dias 27 a 29 de julho nas ondas de El Elio, no balneário de Huanchaco, em Trujillo, norte do Peru. As inscrições para o evento organizado pelo Club Deportivo Olas Norte com patrocínio da Caja Trujillo e Cerveja Corona, seguem abertas pelo sistema online do www.wslsouthamerica.com e grandes estrelas dos pranchões, como os bicampeões mundiais Piccolo Clemente e Phil Rajzman, voltarão a competir no Peru.  
O peruano Piccolo Clemente tem um retrospecto impressionante em casa. Ele e a brasileira Atalanta Batista conquistaram o bicampeonato sul-americano em 2014 e 2015, ganhando as duas últimas edições do Huanchaco Repalsa Longboard Pro Peru. Foram os dois únicos anos com competição feminina e a pernambucana está invicta nas ondas de El Elio. Já o peruano foi finalista em incríveis cinco das seis edições do Mundial de Huanchaco. A única vez que não decidiu o título foi em 2013, no ano que conquistou o seu primeiro troféu de campeão mundial da World Surf League na China.