sábado, 12 de agosto de 2017

Surf - Billabong Pro Tahiti começa com quatro vitórias brasileiras

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Ian Gouveia (PE) (@WSL / Poullenot).
O Billabong Pro Tahiti começou com quatro vitórias brasileiras na sexta-feira de ondas pequenas de 3-5 pés em Teahupoo, sem os grandes tubos da etapa mais desafiadora do World Surf League Championship Tour. A previsão não é boa para a janela do evento, até dia 22, então foi iniciado em condições difíceis para competir, com poucas ondas boas entrando nas baterias. O número 5 do Jeep WSL Leader, Adriano de Souza, foi o primeiro a passar direto para a terceira fase e Italo Ferreira achou um tubo para vencer o confronto seguinte. Semifinalista no ano passado, Gabriel Medina também estreou com vitória e Ian Gouveia ganhou a bateria que fechou a primeira fase com o maior placar do dia, 15,00 pontos.
Essa foi a primeira vez que Ian competiu em Teahupoo, onde o seu pai, Fábio Gouveia, conseguiu a primeira nota 10 da carreira no Circuito Mundial num tubaço enorme, em condições bem diferentes da sexta-feira na bancada de corais mais perigosa do mundo. Mas, Ian mostrou a mesma atitude para achar os tubos e pegou até dois em sua melhor onda, que valeu nota 7,83. Com ela somada ao 7,17 recebido na anterior, o pernambucano atingiu 15,00 pontos, superando os 14,90 do atual campeão mundial, John John Florence, que era o maior placar do dia. Ian Gouveia deixou o taitiano Michel Bourez em segundo lugar com 10,67 pontos e o português Frederico Morais em terceiro com 9,56.
“Eu estou superexcitado em estar aqui no Taiti e competindo aqui em Teahupoo”, disse Ian Gouveia. “É uma onda que eu preciso ganhar mais experiência, mas já é muito bom estar aqui, fazendo o que eu mais gosto. As ondas não estão como nos outros anos, com altos tubos, mas esse lugar é especial, diferente de tudo, então quero aproveitar ao máximo cada oportunidade”.
O pernambucano não foi a única surpresa do primeiro dia de mar difícil no Billabong Pro Tahiti. Depois de Ian Gouveia fazer o recorde de pontos na bateria que fechou a primeira fase, foram iniciados os duelos eliminatórios e outro novato na elite dos top-34 aprontou no penúltimo confronto da sexta-feira. O australiano Ethan Ewing não tinha vencido nenhuma bateria nas seis primeiras etapas e conseguiu quebrar o tabu justamente contra um brasileiro, Filipe Toledo, que vinha de uma vitória espetacular e inédita do Brasil nas direitas de Jeffreys Bay, na África do Sul. Filipe não achou as ondas e foi batido por 10,06 a 6,56 pontos, já perdendo a sétima posição no Jeep WSL Ranking para outro australiano, Julian Wilson.
O próximo que pode superar Filipe agora é Gabriel Medina, se passar mais uma bateria no Taiti. A primeira ele venceu até com certa facilidade na sexta-feira. Medina começou bem com nota 7,33 e dominou todo o confronto, até fechar a tranquila vitória por 14,06 pontos com o 6,73 da sua última onda. O também paulista Caio Ibelli ficou em terceiro com 6,50 nas duas notas e o australiano Stu Kennedy em segundo com 8,60. Medina já venceu o Billabong Pro Tahiti surfando altos tubos em 2014, quando foi campeão mundial. No ano passado, também deu um show, mesmo perdendo uma semifinal eletrizante com John John Florence.
“Eu simplesmente adoro Teahupoo, é uma onda incrível em qualquer condição”, disse Gabriel Medina. “Nós estamos num paraíso e me sinto muito bem aqui. Eu já tive alguns bons resultados aqui, especialmente quando venci (em 2014) e as ondas estavam bombando altos tubos. Neste ano, as previsões não são boas, mas foi divertido competir hoje (sexta-feira). Qualquer um é capaz de vencer aqui nessas condições e eu me sinto pronto também”.
Apesar das quatro classificações diretas para a terceira fase, o Brasil começou e terminou a sexta-feira com derrotas. Na penúltima bateria do dia, Filipe Toledo foi eliminado pelo novato Ethan Ewing. E na primeira, Jadson André perdeu competindo com uma prancha emprestada, porque todas as que levou para o Taiti foram quebradas durante o voo. Ele até começou bem, manobrando forte numa onda sem tubo, mas o australiano Joel Parkinson foi melhor para vencer por 10,00 pontos, contra 8,30 do potiguar e 7,50 do francês Jeremy Flores. Jadson também será o primeiro brasileiro a competir no sábado, contra o taitiano Michel Bourez no segundo duelo do dia.


PRIMEIRAS VITÓRIAS – Para compensar a estreia com derrota, dois brasileiros ganharam as baterias seguintes. O campeão mundial Adriano de Souza está na briga pela liderança do ranking no Taiti e não desperdiçou a primeira chance de avançar para a terceira fase. Ele começou na frente com nota 5,50, que acabou decidindo a vitória por 8,77 pontos numa disputa fraca de ondas em Teahupoo. O norte-americano Nat Young ficou em segundo com 6,27 e o australiano Bede Durbidge em último com apenas 3,63 nas duas notas computadas.
Logo após a vitória do quinto colocado no Jeep WSL Ranking, entrou o número 4 do ranking, Owen Wright, que liderou a bateria até os minutos finais com 9,40 pontos. Até o potiguar Italo Ferreira achar um belo tubo para ganhar nota 7,67 dos juízes e saltar do último para o primeiro lugar com 12,50 pontos. Owen Wright foi para a repescagem junto com o também australiano Josh Kerr, mas já aproveitou a segunda chance de classificação para a terceira fase. Dessa vez, achou ondas melhores para derrotar o espanhol Aritz Aranburu por 14,50 pontos.
LÍDERES DO RANKING – Outro ponteiro do ranking também tropeçou na estreia e já passou pela repescagem, o sul-africano Jordy Smith que ocupa a terceira posição no ranking. O francês Joan Duru surfou um bom tubo nota 7,83 para vencer a sua primeira bateria na sexta-feira, mas Jordy Smith depois superou o taitiano Taumata Puhetini na abertura da segunda fase. Já o vice-líder, John John Florence, passou por dentro dos tubos nas duas únicas ondas que surfou e saiu do mar com o maior placar do dia até ali, 14,90 pontos com notas 7,00 e 7,90.
O havaiano foi abençoado, porque na bateria seguinte quase não entrou onda. O número 1 do Jeep WSL Leader, Matt Wilkinson, teve sorte de pegar uma no começo para praticamente vencer com a nota 5,73 recebida. O paulista Wiggolly Dantas até conseguiu um pouco mais, 5,77, porém não entrou mais nada de ondas para ele poder trocar o 1,33 da sua primeira tentativa de surfar em Teahupoo. O brasileiro ficou em último com 7,10 pontos, atrás do taitiano Taumata Puhetini com 7,13 e o australiano da lycra amarela ganhou por 7,33 apenas. Wiggolly vai disputar a última vaga para a terceira fase com o havaiano Ezekiel Lau.
PARTICIPAÇÃO DUPLA – Mais dois brasileiros estrearam no confronto seguinte e também não conseguiram pegar boas ondas. Enquanto o australiano Adrian Buchan achou uma que rodou o melhor tubo da sexta-feira e valeu a maior nota do primeiro dia, 8,83. Filipe Toledo fez 8,33, mas na soma das suas duas maiores notas, enquanto Miguel Pupo terminou em último com 5,27. Depois, Filipe foi eliminado pelo mais jovem integrante da elite, Ethan Ewing. Mas, Pupo ainda vai tentar aproveitar sua segunda chance de passar para a terceira fase contra o havaiano Sebastian Zietz, na quarta bateria deste sábado em Teahupoo.
SÁBADO ÀS 14 HORAS – O Billabong Pro Tahit continua neste sábado, com a quinta bateria da segunda fase, entre o português Frederico Morais e o norte-americano Nat Young, devendo começar as 7h00 no Taiti, 14h00 no fuso horário de Brasília. Depois, tem Jadson André contra o taitiano Michel Bourez no segundo confronto do dia, Miguel Pupo contra o havaiano Sebastian Zietz no terceiro e Caio Ibelli contra o norte-americano Kanoa Igarashi no quarto. O outro brasileiro na repescagem é Wiggolly Dantas, que vai fechar a segunda fase com o havaiano Ezekiel Lau. A terceira começa em seguida, ainda no sábado em Teahupoo.
O Billabong Pro Tahiti será transmitido pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL e no Facebook Live através da página da World Surf League no Facebook, passando ao vivo também pela ESPN+ e globoesporte.com no Brasil, CBS Sports Network nos Estados Unidos, Fox Sports na Austrália, SKY NZ na Nova Zelândia, SFR Sports na França e em Portugal e EDGE Sports Network na China, Japão, Malásia e outros territórios asiáticos.
SOBRE A WORLD SURF LEAGUE - A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.
A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.
Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Grant Baker, Phil Rajzman, Tory Gilkerson, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.
Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com
-----------------------------------------------------------
João Carvalho – WSL South America Media Manager
(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com
-----------------------------------------------------------
PRIMEIRA FASE DO BILLABONG PRO TAHITI – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:
1.a: 1-Joel Parkinson (AUS)=10.00, 2-Jadson André (BRA)=8.30, 3-Jeremy Flores (FRA)=7.50
2.a: 1-Adriano de Souza (BRA)=8.77, 2-Nat Young (EUA)=6.27, 3-Bede Durbidge (AUS)=3.63
3.a: 1-Italo Ferreira (BRA)=12.50, 2-Owen Wright (AUS)=9.40, 3-Josh Kerr (AUS)=7.57
4.a: 1-Joan Duru (FRA)=12.26, 2-Jordy Smith (AFR)=7.83, 3-Ethan Ewing (AUS)=7.17
5.a: 1-John John Florence (HAV)=14.90, 2-Ezekiel Lau (HAV)=10.93, 3-Aritz Aranburu (ESP)=9.37
6.a: 1-Matt Wilkinson (AUS)=7.33, 2-Taumata Puhetini (TAH)=7.13, 3-Wiggolly Dantas (BRA)=7.10
7.a: 1-Adrian Buchan (AUS)=14.33, 2-Filipe Toledo (BRA)=8.33, 3-Miguel Pupo (BRA)=5.27
8.a: 1-Julian Wilson (AUS)=12.77, 2-Conner Coffin (EUA)=12.40, 3-Kanoa Igarashi (EUA)=10.03
9.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=14.06, 2-Stuart Kennedy (AUS)=8.60, 3-Caio Ibelli (BRA)=6.50
10: 1-Connor O´Leary (AUS)=13.10, 2-Leonardo Fioravanti (ITA)=11.94, 3-Sebastian Zietz (HAV)=10.64
11: 1-Kolohe Andino (EUA)=13.57, 2-Mick Fanning (AUS)=13.43, 3-Jack Freestone (AUS)=11.67
12: 1-Ian Gouveia (BRA)=15.00, 2-Michel Bourez (TAH)=10.67, 3-Frederico Morais (PRT)=9.56
SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 10.000:
1.a: Jordy Smith (AFR) 11.83 x 9.60 Taumata Puhetini (TAH)
2.a: Owen Wright (AUS) 14.50 x 12.10 Aritz Aranburu (ESP)
3.a: Ethan Ewing (AUS) 10.06 x 6.56 Filipe Toledo (BRA)
4.a: Mick Fanning (AUS) 13.00 x 8.16 Josh Kerr (AUS)
---------baterias que abrem o sábado:
5.a: Frederico Morais (PRT) x Nat Young (EUA)
6.a: Michel Bourez (TAH) x Jadson André (BRA)
7.a: Sebastian Zietz (HAV) x Miguel Pupo (BRA)
8.a: Caio Ibelli (BRA) x Kanoa Igarashi (EUA)
9.a: Conner Coffin (EUA) x Stuart Kennedy (AUS)
10: Jeremy Flores (FRA) x Leonardo Fioravanti (ITA)
11: Bede Durbidge (AUS) x Jack Freestone (AUS)
12: Ezekiel Lau (HAV) x Wiggolly Dantas (BRA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário