quinta-feira, 19 de abril de 2018

Avisosport


Mountain Bike - MTB no Deserto de Atacama.

SampaBikers_
O deserto é um local que contamina, apavora e revela. No deserto, o jogo de luzes e sombras nos transporta a um outro universo, onde os sonhos são tão acessíveis quanto às miragens. Em metamorfoses e contrastes, lentidão e leveza, ritmo e silêncio, grandeza e voluptuosidade, o deserto resume o essencial da vida.
É nessa paisagem, repleta de pedras e areia, que pedalamos durante seis dias por um dos lugares mais sensacionais do planeta e que ficou marcado para sempre em nossas memórias: o Deserto do Atacama. 
O Deserto do Atacama ocupa uma estreita faixa de terra entre o Oceano Pacífico e a Cordilheira dos Andes e se estende do sul do Peru ao norte do Chile. Situado à cerca de 3.000 metros altitude, o que torna seu ar rarefeito. Pedalar por um deserto situado em grande altitude é experiência fabulosa. Em alguns momentos se tenta pedalar forte, mas em razão da menor quantidade de ar o fôlego começa a falhar. É um dos lugares mais secos do planeta Em algumas localidades não chove há mais de trinta anos. Com uma rede hidrográfica pouco densa, a região é pontilhada por vulcões e lagoas e está quase sempre coberta por uma bruma espessa e salgada. A escassa vegetação que conseguiu se fixar nesse ambiente quase estéril possui mecanismos para aproveitar a pouca umidade do ar, o que explica a existência de várias espécies de cactáceas, que fazem lembrar as bromélias típicas da mata Atlântica, que se encontram dispersas, sobretudo pelas áreas mais abrigadas dos ventos.A beleza da paisagem, os curiosos salares (depósitos naturais de sal) e gêisers de água quente atraem turistas do mundo inteiro para esse deserto sul-americano.O Deserto do Atacama não se parece com nenhum outro deserto. O traço suave das dunas de areia esculpidas pelo vento é obra rara. Permanece a natureza violenta, provocando terremotos, erupções vulcânicas, cinzelando na terra dura e ressequida imensos planaltos, salinas, desfiladeiros e quebrada

Surf - Etapa Cancelada, Atletas comentam difícil decisão da WSL

Fonte Ricosurf- Autor Carlos Matias_
Gabriel Medina ficou feliz com a decisão. Foto: reprodução Instagram.
“Pessoalmente me sinto confortável com a decisão da WSL e também me sinto confortável com a equipe de segurança com jet ski, drones e barco com sonar nos lugares que surfamos. Eu amo o oeste da Austrália! E essa é uma decisão que todos saem ganhando. Eu e Mikey Wright vamos ficar por mais uma semana pelo oeste. Fique ligado para ver nossa aventura”, Owen Wright (AUS).
“Não vamos perder o amor pelo oeste australiano. Tenho certeza que foi uma decisão incrivelmente difícil para a WSL, mas estou feliz que eles priorizaram a segurança dos surfistas. Como surfistas nós corremos o risco todos os dias quando remamos no oceano e muitos de nós estávamos dispostos a completar o campeonato aqui em Margaret River, mas a WSL tomou a decisão correta para nós. É uma situação única e muito chata para a associação de surf do oeste australiano que sempre fez de tudo para nos sentíssemos bem durante o evento, mas vamos seguir no próximo ano. Estou sendo honesta em dizer que quero voltar no ano que vem. Tem sido uma viagem incrível até aqui”, Stephanie Gilmore (AUS).
“Toda vez que vou surfar em lugares que têm muitos tubarões eu tiro um minuto para entender se essa é a minha hora, o meu momento. Eu amo o oceano e eu amo surfar e essa é a minha maneira de ficar confortável com os tubarões no line up. Tendo dito isso, eu respeito 100% os outros surfistas não estarem confortáveis em continuarem o evento aqui e também concordo totalmente com a decisão da WSL em terminar essa competição em outro lugar daqui a alguns meses. Muito obrigado a associação de surf do oeste australiano por nos estender o tapete vermelho e por tornar esse evento especial para nós”, Conner Coffin (EUA).
“Eles cancelaram o evento por causa dos tubarões, mas foi uma coisa positiva, pois a segurança está em primeiro lugar. Eu gosto muito e vir para cá e espero que eles consigam melhorar a segurança para o ano que vem”, Michel Bourez (TAH).
“Eu só ia raspar o bigode depois que ganhasse ou perdesse no campeonato. Acho que isso vai ficar durante um bom tempo”, disse o brincalhão Joel Parkinson (AUS) penteando o bigode.
“Noticía louca essa do evento de Margaret River ter sido cancelado, mas não estou surpreso, infelizmente. Está na hora de olhar para esse assunto de forma bem mais séria. A Ilha Reunião está lidando com isso há muito tempo. Muito triste WSL”, escreveu Jeremy Flores (FRA), local da Ilha Reunião que passa por problemas de ataque de tubarão há muitos anos.
“Agradeço a WSL que em primeiro lugar se preocupou com a segurança de todos os atletas e cancelou o evento, devido aos últimos acontecimentos. Obrigado e até o próximo evento”, Gabriel Medina (BRA).
“Obrigado WSL por cuidar da segurança dos atletas e fazer essa difícil decisão! Infelizmente é impossível agradar a todos, mas foi a melhor opção a ser seguida. Vejo vocês em breve! Obrigado Austrália, eu tive um dos melhores momentos da minha vida”, Italo Ferreira (BRA).
“Hoje a WSL cancelou o resto do evento aqui em WA (Oeste Australiano)! Sinceramente não me sinto confortável para competir/treinar numa condição dessa, da mesma forma como outros surfistas estão acostumados a conviver com os tubarões! Jamais irei contra meus medos, e nunca vou duvidar do que sinto! Agradeço a WSL e também a associação de surf do oeste australiano por todo o suporte e segurança para nós surfistas! Carinho e respeito pela decisão de vocês! Ps: feliz de ir pra casa e poder ver minha família!”, Filipe Toledo (BR
A).

Corrida de Rua - 9º Circuito de Corridas Pague Menos


Bike - CicloSesc 2018 tem Inscrições Abertas Em mais de Cinquenta Cidades.

www.sesc-ce.com.br_
Que tal programar o próximo feriado para pedalar de bicicleta com seus amigos e familiares? Em mais de 50 cidades cearenses, estão abertas as inscrições para o CicloSesc, passeio ciclístico que o Sesc, instituição integrante do Sistema Fecomércio-CE, organiza há mais de vinte anos para comemorar o Dia do Trabalho. Cerca de quatro mil ciclistas participaram das últimas edições do Ciclo Sesc e, neste ano, as vagas estão disponíveis para inscrições entre os dias 2 e 27 de abril.
As unidades do Sesc Centro, Fortaleza,  Sobral, Crato, Juazeiro do Norte, Iguatu e a Colônia Ecológica Sesc Iparana realizam as inscrições no Setor de Relacionamento com Clientes (SAC). Nos demais municípios do interior do Estado, os interessados devem procurar a Secretaria de Esportes para fazer o cadastro (ver lista cidades). Participantes menores de 18 anos devem ser inscritos por seus responsáveis.
Os ciclistas devem levar suas próprias bicicletas no dia do passeio, quando recebem camisa e boné, além de participarem de sorteios de brindes.
Em Fortaleza, a concentração tem início no centro da cidade, às 6h30, na Unidade Fortaleza do Sesc. Às 8h, os ciclistas partem daRua Clarindo de Queiroz, n° 1740, e pedalam em direção à Avenida Beira Mar, acompanhados por ambulância, caminhão de apoio, agentes de trânsito, batedores e um trio elétrico.
O percurso total é de 20 quilômetros, sendo percorridas grandes avenidas de Fortaleza, como as avenidas Leste-Oeste, Beira Mar, Abolição e a Av. Duque de Caxias no retorno à Unidade.
A iniciativa de levar os trabalhadores e suas famílias para pedalar com liberdade pelas ruas das cidades partiu do Sesc Ceará há 23 anos e foi multiplicada em diversos estados. As atividades de recreação do Sesc contemplaram um público de 3.965.538 pessoas no último ano.

Surf - Credenciamento da Imprensa para o Oi Rio Pro 2018.

jcarvalho@worldsurfleague.com_
Prezado Jornalista,
Oi Rio Pro vem aí com os melhores surfistas do mundo competindo na etapa brasileira do World Surf League Championship Tour 2018, entre os dias 11 e 20 de maio em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. O palco principal do evento, com o Centro de Imprensa, será na Praia de Itaúna e uma estrutura alternativa ficará pronta em frente as ondas da Barrinha, para receber a competição nos dias que estiver apresentando melhores condições.
O credenciamento já está aberto para os profissionais de imprensa se cadastrarem para trabalhar na cobertura do Oi Rio Pro 2018, tanto na Praia de Itaúna como na Barrinha. Está confirmada também a coletiva de imprensa com grandes destaques do WSL Tour atendendo aos jornalistas na quinta-feira, 10 de maio, as 14h00 na Área VIP do palco principal do evento instalada na Praia de Itaúna.
CADASTRO DE IMPRENSA
O credenciamento da imprensa em todas as etapas do Championship Tour é realizado diretamente pela World Surf League e todos os jornalistas devem preencher o cadastro do credenciamento para o Oi Rio Pro no sistema online da WSL. A credencial é pessoal, então cada jornalista tem que ter o seu cadastro individualmente, clicando no link abaixo:  
PRAZO DO CREDENCIAMENTO DA IMPRENSA ATÉ 04 DE MAIO, SEXTA-FEIRA
O prazo do credenciamento da imprensa encerra-se no dia 4 de maio e não serão aceitos mais pedidos após esta data, bem como na praia não haverá credenciamento de jornalistas que não estejam cadastrados, com exceção para alguns veículos de imprensa do Rio de Janeiro como TVs e Jornais que mudam de equipe a cada dia (neste caso é obrigatório a apresentação do cartão funcional da empresa junto com outro documento com foto para identificação).
A World Surf League emitirá um e-mail para os credenciamentos confirmados e as credenciais poderão ser retiradas a partir do dia 11 de maio, na "Seção de Credenciamento" na entrada da arena principal do evento na Praia de Itaúna.  
Com o cadastro, automaticamente o e-mail informado fará parte do mailing de imprensa do evento e passará a receber boletins, aviso de coletivas, releases, fotos e todo o material de divulgação do Oi Rio Pro. Após o envio dos dados, as informações serão analisadas pela Coordenação de Comunicação da World Surf League na Califórnia para aprovação.
Importante destacar que estarão credenciados somente os jornalistas e órgãos de imprensa que receberem a confirmação da World Surf League pelo e-mail cadastrado, o que deve acontecer até o dia 8 de maio!
COLETIVA DE IMPRENSA
Os grandes destaques do Circuito Mundial e principais atrações do Oi Rio Pro estarão na coletiva de imprensa no dia 10 de maio, quinta-feira, as 14h00 na Área VIP da arena do evento na Praia de Itaúna. É o melhor momento para ouvirem os atletas mais relaxados, antes de começar a competição e bom porque após a coletiva eles ficam atendendo as TVs e jornalistas individualmente, mas entrevistas exclusivas fora desse horário precisam ser pré-agendadas com os patrocinadores, managers ou responsáveis pelos contatos de mídia dos atletas.
LIMITE DE CREDENCIAIS
O prazo para o credenciamento da imprensa vai até 4 de maio, sete dias antes do início do Oi Rio Pro. A Coordenação de Comunicação da World Surf League determinou o limite de 200 jornalistas credenciados. Portanto, as demandas serão analisadas pela WSL após os cadastros, mas a prioridade para a confirmação será pelo nível de importância dos veículos de comunicação, começando pelos da Grande Mídia, como TVs, Jornais Diários, Agências de Notícias, Portais de Notícias e de Esportes em geral, Rádios, Revistas.
Com a limitação de 200 credenciais de imprensa e como o espaço destinado ao trabalho dos jornalistas na arena do evento é projetado para atender este número de pessoas, não serão credenciados Blogs, nem Sites e Jornais Especializados em Surf, ou produtoras, assessorias ou assessores (as) de imprensa de atletas ou marcas e free-lancers em geral.
No entanto, os que fizeram o cadastro solicitando credenciamento, receberão toda a divulgação com notícias e fotos diárias do Oi Rio Pro nos seus e-mails.
RETIRADA DA CREDENCIAL
Os jornalistas que receberem a confirmação de credenciamento por e-mail deverão retirar sua credencial (pulseira) a partir de 11 de maio, primeiro dia de competição, diretamente na seção de credenciamento do Oi Rio Pro na Praia de Itaúna, com apresentação do documento (RG) informado no cadastro. As credenciais são únicas, de uso pessoal e intransferível, serão colocadas obrigatoriamente no punho dos jornalistas e não poderão ser retiradas durante todo o período do evento, devendo ser sempre apresentadas para acessar o Centro de Imprensa.
Importante reforçar o prazo do credenciamento até o dia 4 de maio, pois após esta data não haverá credenciamento de jornalistas durante o evento, com exceções para os da Grande Imprensa do Rio de Janeiro, que podem mudar de repórter, fotógrafo, ou toda a equipe a cada dia. No entanto, para serem credenciados na praia é obrigatória a apresentação do crachá funcional da empresa de comunicação, da TV ou do Jornal.
ESTRUTURA SALA DE IMPRENSA
Somente os jornalistas com as credencias terão acesso a sala de imprensa e de coletivas com os atletas, além de poder circular nas áreas permitidas para os profissionais de mídia na arena do evento. A produção disponibiliza na sala conexão com internet via WI-FI, além de bancadas com tomadas para uso de laptops e aparelhos pessoais dos jornalistas.
A equipe da Assessoria de Imprensa estará disponível para prestar o melhor atendimento possível e atender as demandas de entrevistas, além de também fornecer material sobre a evolução das baterias e principais notícias durante o campeonato. Salientamos que teremos estrutura completa do Centro de Imprensa apenas na Praia de Itaúna. Caso a competição aconteça na estrutura alternativa na Barrinha, não poderemos prestar o mesmo serviço pela limitação de espaço no local, então desde já pedimos a compreensão de todos por isso.
INÍCIO DA COMPETIÇÃO
Diariamente, entre as 6 e 7 horas da manhã, o comitê técnico avalia as condições do mar e determina se o dia será "ON" ou "OFF" durante o período de realização do Oi Rio Pro, de 11 a 20 de maio, além do local que será realizado, se na Praia de Itaúna ou na Barrinha. Para os jornalistas que não estiverem na praia, as primeiras informações do dia poderão ser acessadas no www.worldsurfleague.com
-------------------------------------------------------------
CONTATOS DE MÍDIA:
Assessoria de Imprensa do Oi Rio Pro:
João Carvalho - (48) 999-882-986

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Surf - Açai do Gutim Surf Pro


Surf - Margaret River Pro é cancelado pela ameaça de tubarões

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Kieren Perrow (AUS) (@WSL / Kelly Cestari).
A continuação do Margaret River Pro foi cancelada pela World Surf League na quarta-feira, visando a segurança dos atletas pelo alto risco da presença de tubarões nesta semana na costa ocidental da Austrália. A terceira etapa do World Surf League Championship Tour tinha prazo até domingo para ser finalizada, mas todos os surfistas concordaram com a decisão. Os 24 que iam disputar a terceira fase, terminaram em 13.o lugar somando 1.665 pontos no ranking, enquanto as oito classificadas para as quartas de final na segunda-feira, ficaram empatadas em quinto lugar com 4.745 pontos.
Na manhã da quarta-feira, a CEO da WSL, Sophie Goldschmidt, emitiu um comunicado aos surfistas, informando sobre o cancelamento do restante do Margaret River Pro, terceira etapa do WSL Championship Tour 2018. O motivo principal é preservar a segurança dos surfistas, devido à combinação única e excepcional que está acontecendo em Western Australia (costa ocidental da Austrália) nesta semana, aumentando a presença de tubarões na região.
“A WSL coloca a segurança em primeiro lugar”, escreveu Sophie Goldschmidt. “O surfe é um esporte com várias formas de risco, o único praticado onde os animais selvagens habitam nosso local de desempenho. Os tubarões são uma realidade ocasional das competições da WSL e do surfe em geral. Todos no nosso esporte sabem disso. Houve incidentes no passado, é possível que haja no futuro, que não chegaram ao cancelamento de um evento do CT. No entanto, as circunstâncias atuais são muito incomuns e preocupantes, então decidimos que o alto risco durante o Margaret River Pro esse ano ultrapassou o limite do aceitável”.
Depois de dois incidentes distintos ocorridos na vizinha Gracetown, na segunda-feira (16), aproximadamente 6 Km de distância de Main Break, palco principal do Margaret River Pro, a WSL acionou todos os seus protocolos de segurança, promovendo reuniões com todos os responsáveis e envolvidos nas últimas 48 horas, antes de tomar a decisão de cancelar a continuação do evento. Os organizadores não descartam a possibilidade de completar o campeonato em outro lugar durante esta temporada ainda.
“A segurança é nossa maior prioridade e essa é a decisão certa a ser tomada, devido a todas as circunstâncias”, disse o comissário da WSL, Kieren Perrow. “Analisamos a situação de perto, falamos com os atletas, a Water Safety, as autoridades locais, analisamos o máximo de informações possível. Margaret River é um lugar fantástico do mundo, mas a presença de tubarões ativamente agressivos e baleias encalhadas neste período, nos convenceram de que este era o caminho correto a seguir”.
“Os tubarões são algo com que vamos sempre ter que lidar toda vez que surfamos e nós aceitamos esse risco”, disse Adrian Buchan, representante dos surfistas. “Devido as carcaças de baleias mortas, vários ataques foram registrados e estão aumentando, então eu apoio totalmente a decisão da WSL de colocar a segurança dos surfistas em primeiro lugar. Essa região ocidental da Austrália é um dos meus lugares favoritos e parte desse fascínio é a beleza selvagem e a sensação de estar perto da Natureza. Agradecemos o carinho da comunidade local e esperamos voltar em breve”.
“É uma decisão realmente difícil, já que os surfistas adoram vir aqui”, disse Sage Erickson, top do CT e representante das surfistas da elite. “É um lugar lindo, as ondas são incríveis e toda a comunidade apoia bastante o surfe profissional. Mas, a situação nesta temporada está realmente desafiadora e várias surfistas não se sentem seguras. Eu sei que não é uma decisão fácil, mas nós realmente aprovamos pela quantidade de informações e incidentes que ocorreram”.
OI RIO PRO – Com o cancelamento, a disputa pela liderança na corrida pelos títulos mundiais que seria travada em Margaret River, fica para a etapa brasileira, o Oi Rio Pro, que será disputado entre os dias 11 e 20 de maio em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Assim como na última prova da “perna australiana”, dois surfistas vão competir com a lycra amarela do Jeep Leaderboard na Praia de Itaúna, o potiguar Italo Ferreira e o australiano Julian Wilson, por estarem empatados em primeiro lugar no ranking. No feminino, Stephanie Gilmore permaneceu na frente e também vai vestir a lycra amarela no Oi Rio Pro.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Surf - Italo Ferreira é o campeão do Rip Curl Pro Bells Beach

João Carvalho – WSL South America Media Manager_
Italo Ferreira (BRA) (@WSL / Kelly Cestari).
O potiguar Italo Ferreira é o novo campeão do Rip Curl Pro Bells Beach e badalou o sino do troféu da vitória conquistada numa bateria que fica marcada na história do esporte, pela despedida do tricampeão mundial Mick Fanning do World Surf League Championship Tour. A praia estava lotada na quinta-feira, com toda a torcida e seus amigos esperando que ele encerrasse a carreira com um recorde de cinco títulos em casa. Mas, Italo vinha sendo o melhor surfista nas ondas de Bells Beach e na final comprovou isso, para ganhar sua primeira etapa e liderar a corrida pelo título mundial de 2018, junto com o australiano Julian Wilson.
“Eu nem consigo acreditar ainda nisso tudo. É incrível, a minha primeira vitória, o Mick Fanning é meu ídolo, nossa, estou muito feliz”, disse Italo Ferreira. “Eu tenho trabalhado duro nos últimos anos. Lembro da minha primeira final com o Filipe (Toledo) em Portugal (em 2016), estava tão perto da vitória, mas agora consegui. O ano passado foi difícil pra mim, por causa da minha lesão depois da Gold Coast, que me deixou de fora por dois meses. Foi terrível e trabalhei muito forte para me recuperar, então agora é o melhor sentimento, muita felicidade pela vitória neste lugar incrível que é Bells Beach e contra um cara iluminado na final, um herói”.
Italo agora vai competir com a lycra amarela do Jeep Leaderboard pela primeira vez na próxima etapa, o Drug Aware Margaret River Pro, que começa na quarta-feira (11), com prazo para fechar a “perna australiana” até o dia 22 de abril. Depois, os melhores surfistas do mundo vêm para o Brasil, para a segunda edição do Oi Rio Pro em Saquarema, de 11 a 22 de maio na “Cidade do Surf” da Região dos Lagos do Rio de Janeiro, que no ano passado terminou também com vitória brasileira de Adriano de Souza na Praia de Itaúna.  
Mineirinho foi o primeiro e até então único brasileiro a vencer o Rip Curl Pro Bells Beach, em 2013. Ele balançou tão forte o troféu, que o sino acabou caindo de tanto badalar. Foi também, a primeira e única vez que isso aconteceu. O potiguar Italo Ferreira festejou bastante no pódio, tocando o sino da 37.a vitória do Brasil na história da World Surf League, a primeira do surfista de Baía Formosa em sua quarta temporada no grupo de elite que disputa o título mundial.
Italo foi criado em ondas para a direita como as de Bells Beach e vinha batendo seus próprios recordes a cada bateria, com o seu backside agressivo e vertical liquidando todos os adversários que enfrentou no último dia. Ele já tinha registrado as maiores marcas do Rip Curl Pro no duelo brasileiro com Filipe Toledo na terceira fase, 16,60 pontos com notas 8,50 e 8,10. Nas quartas de final que abriram a quinta-feira, atingiu 17,86 com 8,83 e 9,03 contra o havaiano Ezekiel Lau. E na semifinal com Gabriel Medina, ganhou 9,17 na melhor onda do evento na análise dos juízes, para derrotar o campeão mundial por 16,00 a 14,10 pontos.
“Eu só quero dizer obrigado Deus e dedicar essa vitória a minha família, minha namorada e todas as pessoas que tem me apoiado ao longo desses anos”, disse Italo Ferreira. “Eu sou uma pessoa muito feliz por ser este o meu trabalho e eu só tentei fazer o meu melhor nas ondas que surfei em cada uma das baterias. Eu sabia que tinha que continuar assim na final e o Mick (Fanning) é um dos meus surfistas favoritos, o melhor concorrente e só tenho que agradecer a ele por tudo que já fez para o nosso esporte”.