quinta-feira, 19 de abril de 2018

Mountain Bike - MTB no Deserto de Atacama.

SampaBikers_
O deserto é um local que contamina, apavora e revela. No deserto, o jogo de luzes e sombras nos transporta a um outro universo, onde os sonhos são tão acessíveis quanto às miragens. Em metamorfoses e contrastes, lentidão e leveza, ritmo e silêncio, grandeza e voluptuosidade, o deserto resume o essencial da vida.
É nessa paisagem, repleta de pedras e areia, que pedalamos durante seis dias por um dos lugares mais sensacionais do planeta e que ficou marcado para sempre em nossas memórias: o Deserto do Atacama. 
O Deserto do Atacama ocupa uma estreita faixa de terra entre o Oceano Pacífico e a Cordilheira dos Andes e se estende do sul do Peru ao norte do Chile. Situado à cerca de 3.000 metros altitude, o que torna seu ar rarefeito. Pedalar por um deserto situado em grande altitude é experiência fabulosa. Em alguns momentos se tenta pedalar forte, mas em razão da menor quantidade de ar o fôlego começa a falhar. É um dos lugares mais secos do planeta Em algumas localidades não chove há mais de trinta anos. Com uma rede hidrográfica pouco densa, a região é pontilhada por vulcões e lagoas e está quase sempre coberta por uma bruma espessa e salgada. A escassa vegetação que conseguiu se fixar nesse ambiente quase estéril possui mecanismos para aproveitar a pouca umidade do ar, o que explica a existência de várias espécies de cactáceas, que fazem lembrar as bromélias típicas da mata Atlântica, que se encontram dispersas, sobretudo pelas áreas mais abrigadas dos ventos.A beleza da paisagem, os curiosos salares (depósitos naturais de sal) e gêisers de água quente atraem turistas do mundo inteiro para esse deserto sul-americano.O Deserto do Atacama não se parece com nenhum outro deserto. O traço suave das dunas de areia esculpidas pelo vento é obra rara. Permanece a natureza violenta, provocando terremotos, erupções vulcânicas, cinzelando na terra dura e ressequida imensos planaltos, salinas, desfiladeiros e quebrada

Nenhum comentário:

Postar um comentário